Artigos Café Brasil
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Momento Kodak

Momento Kodak

Luciano Pires -

Quando visitei a Disney pela primeira vez, quase trinta anos atrás, fiquei impressionado com um dos pavilhões menos badalados do Epcot Center: o da Kodak. Logo ao entrar, assisti a uma apresentação audio-visual sofisticada na tecnologia, mas muito simples no conteúdo: fotografias singelas, sem efeitos, apenas mostrando pessoas no dia a dia. Me dei conta, emocionado, da importância que uma empresa pode ter na vida das pessoas. Havia ali uma história sendo contada, utilizando a tecnologia que George Eastman criou. Foi ele quem inventou o filme em rolo em 1884 e, quatro anos mais tarde, a primeira câmera “Kodak”. Era uma câmera quadrada e preta, de plástico. Eu tive uma…

Em 1892 nasceu a George Eastman Kodak Company seguindo uma estratégia clara: enquanto todo mundo fabricava câmeras, ela dedicou-se a fabricar filmes. E deu no que deu. Assim que começou a ganhar dinheiro, George transformou-se num dos maiores filantropos da história. Doou mais de 100 milhões de dólares (imagine quanto representava isso entre 1900 e 1930!) especialmente para a criação de institutos voltados à educação, tecnologia e saúde pública. Ele não queria publicidade e doou grandes somas ao MIT (Massachussets Institute of Technology) sob a alcunha de Mr. Smith…

Sofrendo com uma doença degenerativa na coluna vertebral, George Eastman suicidou-se em 1932, deixando um bilhete: “Meu trabalho está feito. Para quê esperar?”.

Em 1935 a Kodak lançou um filme com a marca Kodachrome. E o mundo ficou mais colorido, especialmente no cinema.

Onde está o verdadeiro valor do processo criado por George, que transformou o complicadíssimo ato de fotografar em algo simples, ao alcance de todos? Dê uma olhada numa foto que está em sua carteira, ou que você colocou aí sobre a mesa. É na capacidade que ela tem de acionar sua memória, de trazer à tona uma história, um momento, uma emoção, que está seu valor. George Eastman criou uma chave mágica para acionar nossas memórias, que seus marqueteiros brilhantemente batizaram de “momento Kodak”. Por isso a Kodak sempre foi mais que simplesmente uma empresa ou um produto, cumprindo um papel importante em minha vida. É nesses momentos que fico maravilhado com a capacidade criativa do homem.

Toco neste assunto diante da notícia de que a Kodak, atropelada pela tecnologia digital, pediu concordata. Eu poderia tratar aqui da miopia empresarial que levou a empresa à essa situação, mas quero falar de outra coisa: de magia. Um pouco dela já havia desaparecido quando a fotografia digital liquidou com aquele a ansiedade com que abríamos o envelope com as fotos reveladas sem saber direito o que iríamos encontrar. Me lembro do friozinho no estômago… Cada foto era uma surpresa! Comparado à fotografia digital aquele processo é caro, demorado e ultrapassado, mas a ansiedade era uma delícia.

Não pense que é saudosismo. É constatação: é assim que a humanidade evolui, substituindo o velho pelo novo.

As fotografias ficam, mas o fim da velha Kodak leva um mais pouco da magia embora.

Luciano Pires