Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Minha escolha sou eu

Minha escolha sou eu

Luciano Pires -

Como é que gente educada, inteligente, letrada, continua acreditando nas mentiras que os políticos contam? E vota neles?

Não lembro, desde a redemocratização do país, de jamais ter visto o marketing político causar tanta influência numa eleição como na presidencial de 2014. Dos primeiros passos praticamente amadores da eleição de Collor de Mello, que teve que recorrer aos profissionais da rede Globo para adaptar seu visual, borrifar água no rosto para parecer suor e outros truques, até o cabelo de Dilma Rousseff, foram anos de evolução. Hoje o Marketing Político é uma ciência. Mas foi uma evolução que correu à margem da ética, já que aparentemente qualquer mentira vale, não é?

Pois a campanha política de 2014 me provocou uma reflexão interessante.

Sheena Iyengar é uma educadora norte americana e professora na Columbia Business School. É também pesquisadora e, em uma de suas palestras no TED (http://bit.ly/1yzigTQ) , conta uma história curiosa sobre a influência do marketing em nossas vidas.

Durante uma pesquisa realizada na Europa Oriental, ela entrevistou pessoas que viveram sob os regimes comunistas e que enfrentaram a transição para os regimes democráticos e capitalistas após a queda do muro de Berlim. Quando os participantes chegavam para a entrevista, ela oferecia uma variedade de bebidas: Coca Cola, Coca Diet, Sprite, Pepsi, num total de sete opções. Durante a primeira sessão, que aconteceu na Russia, um dos participantes fez um comentário revelador quando ela perguntou qual bebida ele preferia:

– Ah, não tem importância. Só há uma opção, é tudo soda.

A partir daquele comentário Sheena passou a repetir a pergunta a outros participantes: “quantas opções há aqui?”.

E todos repetiam a mesma resposta: uma só. É tudo soda.

A experiência só mudou quando ela ofereceu uma jarra com água e outra com suco. Então os participantes passaram a ver três opções: água, suco e soda.

Aquelas pessoas, criadas sob um regime comunista, não tiveram a exposição à propaganda, ao marketing, às marcas, como nós temos em nosso dia a dia. Cresceram com poucas escolhas e não conseguiam perceber a personalidade das marcas. Para elas, é tudo soda. Para nós, que se bobear não conseguimos perceber a diferença de sabor entre Coca e Pepsi, Coca é Coca, Pepsi é Pepsi.

E a conclusão de Sheena foi deliciosa: para quem está diariamente exposto a opções de escolha e às propagandas associadas a essas opções, escolher tem mais a ver com quem a pessoa é do que com o que o produto é.

Em outras palavras, suas escolhas dizem mais sobre quem você é do que sobre o produto/serviço/político que você escolheu.

Talvez isso explique a razão de tanta gente educada, inteligente e letrada, continuar acreditando nas mentiras que os políticos contam… e votando neles.

O marketing político não trabalha o político. Trabalha você.