Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Mexendo No Bolso

Mexendo No Bolso

Luciano Pires -

Quando lancei meu podcast “Mídia e Baixaria”, comentei sobre pessoas que ligam para as rádios pedindo músicas ruins. Eu dizia que quem faz isso é uma minoria que as rádios preguiçosas usam para justificar a veiculação de porcarias musicais. Uma leitora e ouvinte, a Valnice, enviou-me um email comentando:

“Luciano, tempos atrás a emissora de rádio da minha cidade começou uma promoção onde uma pergunta era lançada no ar. As pessoas ligavam e quem respondesse primeiro levava um prêmio. Gostei, minha ’secretária para assuntos domésticos’ um dia me perguntou sobre Antônio Conselheiro, explicando que era pra responder a pergunta do programa. Fiquei feliz com a iniciativa, pois a vontade de saber a resposta aguçaria a curiosidade e consequentemente levaria à pesquisa… Os dias se passaram e as perguntas foram caindo de nível, tipo: quem fez o papel de Juca Pirama na novela tal? Quem matou Odete Roitman? Fiquei indignada, liguei para a rádio e me disseram que as pessoas reclamavam das perguntas que eram muito difíceis. Argumentei dizendo que mesmo assim as pessoas telefonavam e respondiam e tentei mostrar que o nível deveria aumentar, diminuir jamais, afinal, temos estudantes na cidade e seria um ótimo exemplo da emissora valorizar a inteligência dos ouvintes. A resposta foi limpa e seca: Você já ligou para o programa? Se sabe tanto deve ter ganhado todos os prêmios…”

Hummmm…. Exemplos como o da Valnice temos aos montes: a tentativa de sempre nivelar por baixo, de pensar pequeno, de impedir que as pessoas tenham que pensar, refletir. Assim mais gente participa, a audiência aumenta e “nóis vendemo uns reclame”. A conseqüência dessa preguiça mental é mais um tijolinho no empobrecimento cultural do brasileiro. E então um velho provérbio latino torna-se realidade: “Asinum Asinus Fricat”, um asno coça o outro.

Vários indicadores mostram que a preguiça mental foi irremediavelmente incorporada à cultura brasileira. Só o que parece importar é “ganhar algum”. Essa engrenagem perversa tem que ser quebrada, se quisermos levar este país para o futuro com alguma consequência.

Tempos atrás conheci um grande comprador de espaço publicitário na televisão, que um dia exigiu que uma emissora tirasse do ar um programa horroroso transmitido em rede nacional. Caso contrário ele pararia de anunciar na rede. Resultado: o programa acabou. O apresentador foi demitido e nos livramos do lixo. Por pressão de quem tinha o poder de impedir que a rede “ganhasse algum”. Meu conhecido mexeu no bolso dos caras.

E se o CONAR, o Conselho de Autorregulamentação Publicitária, a organização não governamental que visa impedir que a publicidade enganosa ou abusiva cause constrangimento ao consumidor ou às empresas, assumisse também a responsabilidade de instigar seus associados (as agências de publicidade) a não propor a seus anunciantes que coloquem dinheiro em programas de baixo nível no rádio, no jornal, na revista e na televisão?

E se cada um de nós se recusasse (e comunicasse isso) a consumir produtos das empresas que financiam a baixaria impedindo que elas ganhem algum? Os diretores de marketing dessas empresas pressionariam as agências de publicidade, que pressionariam os departamentos comerciais das redes de rádio e televisão, que pressionariam seus departamentos artísticos, que pressionariam os produtores, que pressionariam o mané a fazer perguntas de melhor nível na rádio da Valnice.

Essa proposta não é novidade. Dê uma olhada no www.eticanatv.org.br e imagine algo semelhante aplicado a toda a mídia. Só assim contribuiríamos para reduzir a miséria intelectual brasileira.

Mexer no bolso. É a única linguagem que o asno entende.