Artigos Café Brasil
#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

583 – A regra dos dois desvios
583 – A regra dos dois desvios
Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois ...

Ver mais

582 – Sobre transgressão
582 – Sobre transgressão
Alguns fatos recentes trouxeram à tona a discussão ...

Ver mais

581 – Carta aos jornalistas
581 – Carta aos jornalistas
Advogados erram. Treinadores erram. Mecânicos erram. ...

Ver mais

580 – O esquecimento do bem
580 – O esquecimento do bem
O Brasil continua de pé, apesar de todos os tropeços e ...

Ver mais

LíderCast 085 William Polis
LíderCast 085 William Polis
William é um daqueles empreendedores que a gente gosta: ...

Ver mais

LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LiderCast 084 – Rodrigo Azevedo – Rodrigo Azevedo é ...

Ver mais

LíderCast 083 Itamar Linhares
LíderCast 083 Itamar Linhares
Itamar Linhares é médico-cirurgião na cidade de ...

Ver mais

LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LiderCast 082 – Bruno Soalheiro – Bruno criou a ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Mudança, inovação e o espírito conservador
Bruno Garschagen
Ciência Política
Mudei de casa recentemente. Muito mais do que necessário, mudei porque quis, porque considerei que seria melhor. Mudar é sempre, porém, um tormento. Embalar os pertences, transportá-los para ...

Ver mais

O pior dos pecados
Tom Coelho
Sete Vidas
“A conduta é um espelho no qual todos exibem sua imagem.” (Goethe)   Um renomado palestrante é contratado para fazer uma apresentação em um evento de uma multinacional. Porém, apenas uma ...

Ver mais

Gênese da corrupção
Tom Coelho
Sete Vidas
“(…) que os criminosos fiquem em terra de meus senhorios e vivam e morram nela, especialmente na capitania do Brasil que ora fiz mercê a Vasco Fernandes Coutinho (…) e indo-se para ...

Ver mais

Analfabetismo funcional
Tom Coelho
Sete Vidas
“Só a educação liberta.” (Epicteto)   O índice de reprovação no exame anual da Ordem dos Advogados do Brasil, em São Paulo, tem atingido a impressionante marca de 90%. Realizado em duas ...

Ver mais

Cafezinho 14 – A sala, o piano e a partitura
Cafezinho 14 – A sala, o piano e a partitura
Mesmo uma obra de arte, só tem utilidade de houver uma ...

Ver mais

Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Quem confia nas leis não precisa quebrá-las.

Ver mais

Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Eu sou direito. Quero tratamento diferente dos tortos.

Ver mais

Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Se tenho orgulho de meu país? Sim. Mas também tenho vergonha.

Ver mais

Meu adversário me define.

Meu adversário me define.

Luciano Pires -

Em 1984, fomos às ruas com mais de 300 mil brasileiros pedindo pelas Diretas Já, o nosso anjo salvador. Entusiasmados, vimos o demônio da Câmara não aprovar a emenda. Broxamos.

Em 1985 elegemos o primeiro presidente civil após anos de governo militar: Tancredo Neves, o anjo salvador. E vem o demônio para matá-lo antes da posse. Broxamos.

Assume José Sarney, que lança o anjo sob a forma do redentor Plano Cruzado. Que logo vira o demônio dos oitenta e seis por cento de inflação ao mês. Broxamos.

Aí vem a Constituinte. O anjo Ulisses Guimarães conduz o povo às ruas e a gente muda tudo. Para ver o demônio nos dar uma montanha confusa de leis que tornam o país quase inviável. Nova broxada.

Surge então o anjo salvador: Fernando Collor de Mello. Que vira demônio e dá no que deu. Broxamos.

Então vem FHC, o anjo que coloca o país nos trilhos em seu primeiro mandato, para virar o demônio do segundo, abrindo caminho para a oposição. Nova broxada.

E então chega Lula, o anjo e seus comerciais. E traz com ele o demônio do Mensalão, do Petrolão, da corrupção institucionalizada. Broxamos mais uma vez…

Em 2013 somos surpreendidos pelo retorno do povo às ruas, milhões de pessoas, pintando uma mudança que… não acontece. Broxamos.

No domingo, 13 de março de 2016, aproximadamente 4 milhões de brasileiros foram às ruas para mudar o Brasil. Três dias depois o mesmo Lula que aquele povo quer na cadeia é indicado como Ministro da Casa Civil.

Broxamos.

E então tenho que ouvir minha filha perguntar:

– Pai, pra que servem essas manifestações, se nada acontece?

Eu respondo. O que nos faz sentir vivos é ter nossas energias canalizadas para vencer um desafio. Depois da broxada das Diretas Já, continuamos lutando e conquistamos o direito de votar para Presidente! Continuamos lutando e fomos aperfeiçoando aquela Constituição Cidadã. Continuamos lutando e tiramos o presidente corrupto. Continuamos lutando e não deixamos que o desarmamento passasse. As conquistas que tivemos vieram da continuidade da luta, apesar das broxadas.

Para o Batman existir, tem de haver o Pinguim, o Coringa. Para o Corinthians ser um grande time, tem de existir o Palmeiras, o São Paulo, o Flamengo, o Grêmio. Frodo e Gandalf existem pois existem Saruman e os Orcs.

O que nos define são os adversários que vencemos. E quanto maiores, mais fortes, mais organizados, mais preparados eles forem, melhor temos de ser para batê-los.

Lula sendo indicado para Ministro é apenas uma reação do adversário, usando as armas que tem. Não pode ser motivo para broxar, mas para contra atacar com outras táticas, com mais mobilização. Eles, apesar de demonstrar sinais de desorganização, de perda da capacidade de mobilização, ainda estão no poder. Têm em mãos uma máquina fabulosa, ainda contam com o aparelhamento de várias instâncias dos três poderes e de parte da imprensa. E não lutam como num UFC cheio de regras, mas como briga de rua mesmo…

Quem disse que seria fácil?

Mas pense comigo, três ou quatro anos atrás, se alguém dissesse a você que vários elementos da cúpula do governo, os donos das construtoras e até um senador em exercício, seriam presos pela polícia federal você acreditaria? É claro que não!

O Brasil está mudando! Talvez não na velocidade que desejamos, mas está!

Então levanta aí, ô. Vamos pra luta! Do jeito que você puder: pelo Facebook, pelo Whatsapp, batendo panelas, indo às ruas, pressionando o político mais próximo, processando os bandidos se você tem as manhas, mobilizando mais gente. Só não dá pra ficar parado, assistindo.

Ah, sim, “mas Luciano, e o Aécio?”

Bem, ele que aguarde a vez dele.

Primeiro temos que bater o Orc que vem na frente.