Artigos Café Brasil
Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

Café Brasil Curto 20 – Acho por acho
Café Brasil Curto 20 – Acho por acho
Não queira ser mestre sem antes ser discípulo.

Ver mais

Café Brasil Curto 19 – Mudar por discurso?
Café Brasil Curto 19 – Mudar por discurso?
Aceitemos a luz. E paremos com essa bobagem do "sempre ...

Ver mais

574 – Os agoristas
574 – Os agoristas
Café Brasil 574 - Os agoristas. Vivemos no presente, ...

Ver mais

Café Brasil Curto 18 – O problema são os outros
Café Brasil Curto 18 – O problema são os outros
Mude essa sua visão preconceituosa, desconfiada e ...

Ver mais

LíderCast 077 Waldey Sanchez
LíderCast 077 Waldey Sanchez
LíderCast 077 – Waldey Sanches - Waldey Sanches é um ...

Ver mais

LíderCast 076 Raquel e Leo Spencer
LíderCast 076 Raquel e Leo Spencer
LíderCast 076 – Raquel e Leo Spencer – A Raquel e o ...

Ver mais

LíderCast 075 Renato Seraphin
LíderCast 075 Renato Seraphin
Renato Seraphin é presidente da Albaugh, uma empresa do ...

Ver mais

LíderCast 074 Camila Achutti
LíderCast 074 Camila Achutti
LíderCast 074 – Camila Achutti é uma jovem e muito bem ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

37 não é febre
Tom Coelho
Sete Vidas
“Nada mais comum do que julgar mal as coisas.” (Cícero)   “Filha, leve um agasalho, pois vai esfriar.” “Querido, lembre-se de seu guarda-chuva; parece que vai chover…” “Não vá tomar ...

Ver mais

Lições de viagem 10
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Lições de viagem 10 Itália  Penso che un sogno così non ritorni mai più mi dipingevo le mani e la faccia di blu poi d’improvviso venivo dal vento rapito e incominciavo a volare nel cielo ...

Ver mais

Gente do bem
Tom Coelho
Sete Vidas
“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” (Romanos, 12:21)   Em meio ao trânsito desordenado, um motorista gentilmente cede-me passagem. Visito um ex-professor na faculdade ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2017
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2017 Memoráveis citações “Quando foi criada a Faculdade de Ciências Econômicas da USP, em 1945, eu decidi fazer Economia. Fiquei muito feliz com a Economia, me ajustei ...

Ver mais

Mar De Letras

Mar De Letras

Luciano Pires -



MAR DE LETRAS







Acabo de chegar da Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, onde participei como um dos debatedores no Café Literário desta noite.



Eu já me preparara para o que veria, pois a Bienal está bastante divulgada. Li entrevistas, assisti matérias, entrei no site. Mas descer no aeroporto e encontrar um motorista de terno me esperando… Ser hospedado num hotel excelente na orla de Copacabana… Preencher aquela fichinha de hóspede e escrever orgulhoso “escritor” no item profissão, já foram um prenúncio de que eu teria muito mais do que esperava. A Bienal está anunciada por todos os lados. É o acontecimento do Rio, aquele mesmo Rio do qual só recebemos notícias de tragédias toda noite pela TV.



O Riocentro parece uma festa. Durante a Bienal serão mais de 600 mil pessoas dentro e fora dos 55 mil metros quadrados dos três pavilhões, fervilhando pelos corredores, estandes, palestras e bate-papos.



Todo dia cerca de 25 mil meninos e meninas entre cinco e 15 anos, sempre em grupos de 40 a 50 estudantes uniformizados e acompanhados de professores percorrem os corredores. “Esse grupo é da terceira série do Ciep Procópio Ferreira, na zona norte da cidade. São meninos de favelas que quase nunca saem de lá”, conta uma de suas professoras de leitura, Cristina Pego. “Eles se encantam com tudo que vêem no caminho e associar esse prazer ao livro também é função dessa visita”.



As crianças se comportam como se aquilo fosse um parque de diversões.



E é.



Um parque de diversões onde a imaginação é o brinquedo principal.



Um mar de livros. Um mar de letras.



A Bienal é um evento comercial? Claro que sim, e só existe por sê-lo. Não fosse comercial seria uma reunião de meia dúzia de amantes de livros para falar de livros, num nível que nenhum humano comum entenderia.



O caráter comercial e sua utilização da mídia deram à Bienal o mesmo impacto das exposições de Rodin ou Picasso, que arrastaram milhares para Museus. E talvez esse seja o ponto chave.



A mídia dá prestígio a tudo aquilo que adota. A mídia cria modismos. Incentiva e motiva. Mais: transforma qualquer coisa em celebridade.



Daí minha velha tese de que, através da mídia, podemos mudar este país.



Quando a mídia entender que sua função é muito, mas muito mais que simplesmente entreter, informar e incentivar as pessoas a trocar seu dinheiro por produtos, criaremos uma máquina de mobilização que fará milagres.



Como os que eu vi no Rio, nos olhos daquelas crianças mergulhadas num mar de letras. Num tsunami cultural. Vivendo um momento capaz de despertar a paixão pela leitura.



Pois neste Brasil, onde demonstrar ignorância é prática socialmente aceita, “cult”, e até motivo de orgulho, isso não é pouco.



É a solução.



Pena que a mídia, preguiçosa e míope, ainda prefere investir nos pocotós.