Artigos Café Brasil
O pacto dos canalhas
O pacto dos canalhas
Isca Intelectual de Luciano Pires sobre o grande mal ...

Ver mais

A colheita
A colheita
isca intelectual de Luciano Pires, sobre um Brasil que ...

Ver mais

Pelo exemplo
Pelo exemplo
Isca intelectual de Luciano Pires sobre gestão. Todo ...

Ver mais

Quem faz nossa cabeça
Quem faz nossa cabeça
Isca intelectual de Luciano Pires. Imagino uma criança ...

Ver mais

561 – Intueri
561 – Intueri
Podcast Café Brasil 561 - Intueri. Às vezes você tem a ...

Ver mais

560 – Welcome to the Hotel California
560 – Welcome to the Hotel California
Podcast Café Brasil 560 - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

559 – Vida de vampiro
559 – Vida de vampiro
Podcast Café brasil 559 - Vida de vampiro. Ainda na ...

Ver mais

558 – O Café Brasil Premium
558 – O Café Brasil Premium
Podcast Café Brasil 558 - O Café Brasil Premium. No ...

Ver mais

LíderCast 069 – Panela Produtora
LíderCast 069 – Panela Produtora
Hoje converso com Daniel, Filipe, Janjão e Rhaissa ...

Ver mais

LíderCast 068 – Gilmar Lopes
LíderCast 068 – Gilmar Lopes
Hoje converso com Gilmar Lopes, que de pedreiro se ...

Ver mais

LíderCast 067 – Roberto Caruso
LíderCast 067 – Roberto Caruso
Hoje conversamos com Roberto Caruso, um empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 066 – Alex Bezerra de Menezes
LíderCast 066 – Alex Bezerra de Menezes
Hoje converso com Alex Bezerra de Menezes, que é Clark ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

A mentalidade da caixa preta
Raiam Santos
Fiquei um tempinho distante do MundoRaiam porque estava em “Modo Buda” focado 100% na produção do meu quinto livro CLASSE ECONÔMICA: PAÍSES BALCÃS. Agora que o livro já tá na mão da ...

Ver mais

O coração da empresa
Tom Coelho
Sete Vidas
“Se fôssemos bons em tudo não necessitaríamos trabalhar em equipe.” (Gisela Kassoy)   É comum qualificarmos as empresas como “organismos vivos”. E, sob esta ótica, comparar seu funcionamento ...

Ver mais

Manual de disrupção do marketing
Mauro Segura
Transformação
17 fenômenos acontecendo no marketing que nem todo mundo está enxergando

Ver mais

Todos iguais. SQN
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A atual crise, com a delação dos famigerados irmãos Joesley e Wesley Batista, tem causado reações estranhas da nobre plateia; há mais fervura nas torcidas contra (e a favor do quanto-pior-melhor ...

Ver mais

Limpando a lista

Limpando a lista

Luciano Pires -

Todo final de ano reviso minha agenda telefônica para eliminar os contatos que não têm mais relevância. Antes uma cadernetinha de endereços, hoje é em meu iPhone que vou revisando, em ordem alfabética, cada contato. É sempre uma surpresa. Quantos contatos nem me lembro quem são! Pessoas com as quais estive durante a realização de palestras, gente do operacional, o motorista de táxi que me pegaria no dia seguinte, o técnico que cuidaria do som, pessoas que cruzaram minha vida e que jamais reverei. Esses eu apago.

Também gente que contatei para buscar informações específicas e que dificilmente voltarei a ver. Também apago.

Aí tem um grupo que me deixa, como a gente dizia em Bauru, encafifado: o nome está lá, com sobrenome e tudo, mas não tenho a menor ideia de quem seja. Bem, se não sei quem é, é dispensável. Apago.

E então chega a categoria que sempre me abala, a dos que faleceram no ano que termina. Logo na letra “A” encontro meu tio Alcides, irmão mais velho de minha mãe, que faleceu dia 30 dezembro de 2013, depois da revisão da lista naquele ano. Fico na dúvida… Apago ou não apago? Afinal, para quê um número que tem praticidade inútil, a não ser provocar lembranças de um ente querido? Hummmm. Mas eu tinha tanto carinho pelo tio Alcides… Decido não apagar. O tio fica.

Passo pelo “B” sem problemas e no “C” encontro o Chiquinho, um daqueles amigos que são como irmãos e que se foi já há 3 ou 4 anos, deixando um vazio impossível de ser preenchido. Nunca tive coragem de apagar o contato e não será agora. O Chico fica.

Passo pelo “D”,“E”,“F”,“G”,“H”,“I”,“J” e “K”, aliviado… e no “L” encontro minha prima Lila, filha do meu tio Alcides, que faleceu poucas semanas depois do pai. E vem uma enxurrada de lembranças da infância. Mantínhamos pouco contato, mas sempre afetuoso. A Lila fica.

Sigo em frente, ressabiado. Passo pelo “M”,“N”,”O”,“P” e “Q” e fico feliz. Tá todo mundo vivo. Mas quando chego ao “R”, encontro Rubem Alves, o mestre que se foi em 2014. Mantive com ele poucos contatos pessoais, uma tarde agradável de bate papo em sua casa em Campinas, troca de emails de quando em quando, mas seus livros sempre foram um alimento para minha mente e alma. Era um grande companheiro e mentor cujo contato, com certeza, jamais apagarei. O Rubem fica.

Chego ao fim da lista sabendo que quatro dos contatos nunca atenderão a uma ligação nem responderão a uma mensagem. Até 2013 era só o Chiquinho. 2014… Que ano…

Recosto-me na cadeira para refletir. E me lembro do filósofo Sêneca que uma vez escreveu:

“Feliz o homem capaz de ter por alguém tanto respeito que a simples lembrança do modelo basta para lhe dar ordem e harmonia espiritual.”

Ordem e harmonia espiritual. Com um tantinho de saudades. É isso que a revisão de minha lista de contatos me dá.

Feliz 2015.