Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

LíderCast 162 – Aldo Pini
LíderCast 162 – Aldo Pini
Ex-diretor de planejamento da agência África, que ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2019
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2019 Memoráveis citações “O Brasil é um país onde você passa quinze dias fora e muda tudo, mas passa quinze anos fora e não muda nada.” Cássio Casseb  “Quando alguém tem ...

Ver mais

O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina?
Carlos Nepomuceno
O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina? Live completa.

Ver mais

Ni nóis não
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A história todo mundo conhece, pelo menos no enredo do samba: Criminosos de extenso currículo (estelionatários, ladrões, traficantes) foram contratados para espionar telefones privados de ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

Esperanças perdidas

Esperanças perdidas

Luciano Pires -

É impressionante. O mundo está caindo para o PT e seus amigos, alguns de seus mais importantes membros na cadeia, um escândalo estourando a cada dia, a economia à deriva, promessas de campanha sendo descumpridas a cada segundo, a incompetência explícita a cada ato… é o caos. E muitos LGPTs, ou Leais Guerreiros do Partido dos Trabalhadores, estão pulando fora do barco. Mas há aqueles que insistem em se manter na defesa do indefensável.

As mídias sociais estão infestadas deles. Eu mesmo tenho em minha página no Facebook alguns petistas de estimação que cumprem o precioso papel didático de explicitar as artimanhas da esquerda para praticar seus duplos saltos carpados retóricos, invertendo sentidos, assumindo-se vítimas e justificando crimes com base em crimes anteriores. É até cansativo. Alguns são pessoas inteligentes, articuladas, o que torna ainda mais incompreensível a insistência em justificar o injustificável.

Tentando encontrar uma explicação para essa espécie de psicose, recorri ao trabalho de Elisabeth Kluber-Ross, psiquiatra suíça-americana que estudou o comportamento das pessoas próximas de situações de morte. Elisabeth escreveu um livro famoso chamado Sobre a Morte e o Morrer, no qual apresentou sua teoria sobre os cinco estágios do luto.

Elisabeth explica como as pessoas lidam com as perdas e seu trabalho serve para entender o que acontece com muita gente que acreditou em promessas de políticos e agora se vê diante do esfacelamento dos sonhos, das esperanças perdidas.

Vamos aos cinco estágios:

Fase 1: Negação. A pessoa nega a existência do problema, não acredita nas informações que recebe e busca a todo instante argumentos para provar que a informação não é real. Não adianta mostrar provas irrefutáveis, ela simplesmente não acredita, evita as informações ou até mesmo a falar sobre o assunto. O mote é “Não é possível! Isso não pode estar acontecendo!”

Fase 2: Raiva. A pessoa fica revoltada e manifesta um profundo ressentimento. Projetando sua raiva em terceiros, perde a cabeça ao falar do assunto, se faz de vítima, se diz injustiçada, recusa-se a ouvir conselhos. Ou simplesmente agride o mensageiro das ” más notícias”. O mote é : “Não é justo! Por que só comigo?”

Fase 3: Negociação. A pessoa tenta negociar algum acordo para que as coisas voltem a ser como antes. Normalmente é uma negociação interna, não raro envolvendo aspectos de fé e religiosidade, com promessas e pactos. O mote é: “Vou pensar no lado positivo, nas coisas boas, assim o assunto se resolve.”

Fase 4: Depressão. É quando, diante da absoluta impossibilidade de negar o óbvio, bate o sofrimento, a tristeza, a desolação, o medo. O indivíduo se recolhe, tenta permanecer isolado, em introspecção, sente-se incapaz de lidar com a situação. O mote é: “Nada mais dará certo, não há porque tentar reagir.”

Fase 5: Aceitação. Pronto. Com as emoções não mais à flor da pele, a pessoa se vê em condições de enfrentar o problema, busca ajuda de terceiros e planeja para enfrentar a crise. O mote pode ser: “Aprendi a lição, acho que posso superar isso.”

O processo dos cinco estágios do luto pode ser aplicado aos viúvos e viúvas daquele PT (e afiliados) que prometia o céu, se dizia diferente de todos e agora faz de tudo para se mostrar igual a todos.

Sabe aquele seu amigo nervoso? Ou amiga nervosa? Aplique os cinco estágios do luto nele ou nela. Você vai compreender em que estágio a pessoa se encontra e talvez possa ajudá-la a enfrentar as próximas notícias que vêm por aí. Afinal, são seres humanos e ninguém merece sofrer assim.

Mas fique esperto. Esse processo não é linear, a pessoa pode passar por uma fase e retornar à ela, ou simplesmente permanecer estagnada.

Conheço vários que jamais chegarão à fase da aceitação.