Artigos Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Nobel de Economia valoriza sustentabilidade e inovação tecnológica
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Nobel de Economia valoriza sustentabilidade e inovação tecnológica “Nossos filhos terão mais de quase tudo, com uma gritante exceção: eles não terão mais tempo. À medida que a renda e os salários ...

Ver mais

Ah, se os políticos usassem sua criatividade para o bem
Henrique Szklo
Tem gente que acha que os políticos não são corruptos. Nós é que somos certinhos demais. Já o meu amigo Rodriguez diz que o pior tipo de político é o honesto, porque, além de trouxa, é traidor da ...

Ver mais

Somos quem podemos ser
Jota Fagner
Origens do Brasil
Já faz um tempo que venho desiludido quanto aos resultados da educação. Ainda acredito que ela seja essencial, mas já consigo enxergar que não basta. Uma pessoa bem instruída não é garantia de ...

Ver mais

História da riqueza no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
História da riqueza no Brasil  Cinco séculos de pessoas, costumes e governos “A proposta de uma revolução copernicana na análise e interpretação da história do Brasil – esta é a marca ...

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Cafezinho 112 – Como decidi meu voto
Cafezinho 112 – Como decidi meu voto
Meu voto é estratégico, para aquilo que o momento exige.

Ver mais

Lição De Vida

Lição De Vida

Luciano Pires -



LIÇÃO DE VIDA 



Vivi dias atrás uma das experiências marcantes em minha vida, ao promover a edição de meu livro BRASILEIROS POCOTÓ, em Braille. São raras as obras de autores contemporâneos em Braille. Dá um trabalhão, custa caro e o retorno é baixo em termos de marketing. Mas eu achei que deveria fazê-lo. E fiz. Através da Escola Estadual Cônego Paulo de Nadal, de Porto Alegre, escola pública e bastante humilde, tomei contato com um grupo de abnegados que desenvolve um trabalho solitário de assistência educacional aos deficientes visuais. Visitei a escola, vi os esforços daquele grupo de pessoas dispostas a transformar as vidas dos que não contam com a visão. Foi emocionante. São pessoas que têm uma outra visão de mundo, que lutam por pequeninas vitórias que, para nós, significam quase nada.




Mandei o texto, fiz a doação do papel especial e logo tive o livro em mãos.




Então veio o evento de lançamento do livro numa feira do livro realizada na escola. Pelo celular de um amigo ouvi emocionado o grupo musical da escola entoando a Melô do Pocotó, com todas as crianças cantando em coro: “não, não quero ser um Pocotó”.  Mas o melhor foi o e-mail que recebi do professor Leopoldo, deficiente visual, que fez a revisão do livro em Braille. Olha só…




“Caro Luciano! Depois de ter o privilégio de ser o 1º Deficiente Visual a ler, em Braille, Brasileiros Pocotó, não poderia ficar omisso. Quando meus dedos deslizavam neste texto sentia que dentro de mim brotava um sentimento de satisfação, pois o texto refletia o que penso e o que por vezes já manifestei em rodas de amigos e que não tive coragem de expor em grande grupo. Quando fazia a revisão do texto em Braille, muitas vezes dentro do ônibus nos deslocamentos de casa até a Escola, freqüentemente despertava a curiosidade de outras pessoas, as quais perguntavam sobre o que eu estava lendo e eu respondia lendo, empolgado, partes do texto e comentando sobre esta obra e seu autor e ainda indicava o site para que as pessoas acessassem aos teus artigos. Um dia, fiquei tão empolgado com a leitura, que passei do ponto de descer e depois de várias tentativas em me chamar a atenção, o cobrador levantou e tocou em meu braço dizendo ´Professor, professor: não quero interromper sua leitura, mas o senhor já passou do ponto que deveria descer´. Poderia ficar horas e horas escrevendo sobre as impressões que tive com a Leitura do “Pocotó”, mas vou me limitar aqui em falar sobre a chance ímpar, com nosso grupo vocal, de fazer o solo do Melô do Pocotó (sei que tu acompanhaste pelo celular) e que fiquei emocionado porque todas as pessoas que se encontravam em nossa Feira do Livro  pediram bis e responderam em uníssono ´EU NÃO QUERO SER UM POCOTÓ´.
Um grande abraço. Leopoldo”



Pois é. E a gente acha que tem problemas…
Se o mundo acabasse agora, eu iria satisfeito.