Artigos Café Brasil
A “Netflix de Conteúdo”
A “Netflix de Conteúdo”
Surge o Café Brasil Premium, uma espécie de "Netflix do ...

Ver mais

OrgulhoDeSerCorrupto
OrgulhoDeSerCorrupto
Isca intelectual de Luciano Pires. Neste Brasil ...

Ver mais

O moço do Uber
O moço do Uber
Isca intelectual de Luciano Pires relatando uma ...

Ver mais

A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros. Isca intelectual de ...

Ver mais

557 – Três princípios para falar de Justiça
557 – Três princípios para falar de Justiça
Podcast Café Brasil 557 - Três princípios para falar de ...

Ver mais

556 – Certos abraços – Revisitado
556 – Certos abraços – Revisitado
Podcast Café Brasil 556 - Certos abraços - Revisitado. ...

Ver mais

555 – Uma proposta para reforma da Previdência
555 – Uma proposta para reforma da Previdência
Podcast Café Brasil 555 - Uma proposta para transformar ...

Ver mais

554 – Um jeito de ver o mundo
554 – Um jeito de ver o mundo
Podcast Café Brasil 554 - Um jeito de ver o mundo. ...

Ver mais

LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
Hoje recebo Antonio Carlos de Moraes Sartini, Bacharel ...

Ver mais

LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
Hoje recebo o Roma, Luiz Henrique Romagnoli, que faz ...

Ver mais

LíderCast 063 – Diogenes Lucca
LíderCast 063 – Diogenes Lucca
Hoje converso com Diogenes Luca, fundador e ex-comando ...

Ver mais

LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
Hoje recebemos Felipe Pires e Katiusca Carvalho. O ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

Duas listas diferentes
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Já assistiu A Lista de Schindler? Não? Assista, é excelente. Já viu? Veja de novo. Uma das cenas mais tocantes é a da elaboração da lista de pessoas que o protagonista pretende “comprar” do ...

Ver mais

Políticos de carreira: o maior mal do Brasil
Raiam Santos
Chega pra um amigo teu e pergunta o seguinte: “Qual é o maior problema do Brasil hoje em dia?” Te garanto que pelo menos 90% dessa galera vai responder algo relacionado à política. ...

Ver mais

Sobre as desavenças do liberalismo
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual liberalismo é a redescoberta tardia de um projeto de tolerância surgido no século XVI, no continente europeu.   Na última segunda-feira, dia 17 de abril de 2017, foram lançados dois ...

Ver mais

Centenário de Roberto Campos
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Centenário de Roberto Campos 1917 – 2017 “Roberto Campos foi um tecnocrata esclarecido, o mais iluminista de nossos intelectuais, um estadista exemplar, embora frustrado em suas inúmeras ...

Ver mais

Justiça Cega

Justiça Cega

Luciano Pires -

JUSTIÇA CEGA



A justiça é cega. Sempre aprendi que essa “cegueira” era positiva. Não podendo distinguir entre os humildes e os poderosos, a justiça aplicava as leis de forma igualitária. Cresci vendo aquela figura da senhora com os olhos vendados, uma espada e uma balança nas mãos, como garantia de que eu seria igual a todos.  


Mas o mundo mudou. E aquela cegueira virtuosa transformou-se em defeito. Veja o julgamento de Suzane Von Richtofen e dos irmãos Cravinho, por exemplo. Além do circo jurídico armado pelos advogados, o que mais me indignou foi que, depois de presos e acusados, os assassinos estiveram em liberdade…


E aquele desequilibrado, o Champinha, que torturou e matou o casal de namorados no Embu? Li que também pode ser posto em liberdade, pois é “de menor” e quando completar a maioridade blá,blá,blá…


E o jornalista Pimenta das Neves que matou a namorada? E as dezenas de ladrões que, transformados em celebridades, circulam entre nós?


Não sei você, mas eu me sinto tomando o tapa na cara cada vez que leio sobre esses assuntos. Perguntei para um amigo advogado qual é a fundamentação jurídica para essa turma andar livremente pelas ruas. Sem falar das manobras políticas e jogos de interesses, ele usou a lei para explicar o caso dos irmãos Cravinho. Os irmãos foram soltos por um aspecto técnico da lei, o benefício da liberdade provisória. Esse benefício é aplicado quando não existe ameaça às testemunhas, quando os réus são primários e quando não existe violação à ordem econômica e social. E também quando a liberdade se torna menos prejudicial ao acusado do que sua permanência na prisão por longo tempo sem julgamento. E os Cravinho, embora assassinos confessos, estavam aguardando julgamento por muito tempo sem uma sentença que amparasse a decisão.


Pois é… Então reinam os advogados que se utilizam de procedimentos legais para proteger os criminosos.


Quando você vê na televisão o digníssimo advogado do criminoso confesso explicando a estratégia da defesa, o que é que passa por sua cabeça, hein?


Eu me pergunto se o advogado dorme tranqüilo ao deixar o assassino na rua. Me pergunto se a competência técnica é mais importante que a moral.


Pô, parece que a justiça é cega!


Pois é nesse cenário que temos uma anti-justiça passando à sociedade a impressão de que talvez o crime compense. Talvez valha a pena correr o risco. Talvez…


Imediatamente me lembro da China onde os criminosos são executados em estádios, sob os olhos de milhares de pessoas. Lembro-me também de outros países onde os ladrões sofrem amputação das mãos. Nesses lugares a justiça é utilizada como instrumento pedagógico. Executa-se um e amputa-se outro para ensinar a milhares que o crime não compensa. Uma punição exemplar. O exemplo é poderoso instrumento de persuasão… Que louco, não?


Mas para nossa sociedade cristã essas “justiças” são demonstrações de barbárie, de desrespeito aos direitos humanos. Não dá para aceitar.


Mas… Será possível julgar outras culturas, usando nossos parâmetros? Na cultura das sociedades que matam e amputam, não existe desrespeito aos direitos humanos. Existe a oportunidade de dar o exemplo à sociedade. Lá, morrer ou sofrer amputação como punição por um crime é uma vergonha. A mesma vergonha que falta na cara dos nossos técnicos que usam os “aspectos técnicos da lei” para proteger os criminosos.


Provavelmente um deles vai me escrever dizendo que “é legal”!


Pode ser. Mas não é moral.


Meu amigo advogado terminou seu e-mail com um sonho…


“Já imaginou? Julgamento em seis meses e vinte e oito anos de reclusão?


Não dava mais vontade de matar papai para poder ter mais liberdade”.


É… Mas infelizmente, a justiça parece que está cega.