Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Introspectiva 2013

Introspectiva 2013

Luciano Pires -

Vou repetir neste final de ano um texto publicado em 2011 no qual fiz algumas adaptações. É que gosto muito dele, que é atemporal e merece ser revisto.

Todo final de ano tem retrospectivas. Quem é que não gosta de rever aquelas cenas que nos tiraram o fôlego ao longo do ano que passou? Principalmente quando editadas em ritmo de filme de ação? Imagens fortes que brincam com nossas emoções.

Retrospectivas colocam molho em nosso rotineiro cotidiano e servem para lembrar como somos sortudos, afinal, com raras exceções, aquelas tragédias nunca acontecem conosco, não é? E às vezes também aparecem as perspectivas, aqueles exercícios que tentam antecipar o que vem pela frente. Todo ano é igual: Jair de Ogum e Mãe Dinah dizendo que vai morrer um artista e economistas apostando que a inflação será de xis por cento. E a gente adora!

Pois vou propor algo diferente: em vez de olhar para trás pra rever o que passou ou para frente pra antecipar o que vem por aí, proponho olhar pra dentro e fazer sua “Introspectiva 2013”.
Pouca gente sabe direito o que é a introspecção. Costumamos dizer que um indivíduo introspectivo é aquele pouco social, que passa a maior parte do tempo às voltas com seus pensamentos, à margem da festa. Mas a introspecção é mais que isso. Envolve até mesmo a Filosofia. Sabe-se que Sócrates já utilizava a técnica da introspecção em seus estudos sobre os grandes enigmas da vida.
O que me interessa neste final de ano é refletir sobre a introspecção como “o ato de olhar para dentro de si mesmo, para seus pensamentos, desejos e sentimentos, examinar como sua mente funciona, como toma decisões, como direciona seus atos.” A introspecção como um auto-exame para nos conhecer melhor e assim antecipar nossas reações e realizar escolhas melhores.

A introspecção envolve credos, desejos, dores e emoções. É um vasto campo de estudos da psicologia, coisa de quem é do ramo. Mas dá pra refletir sobre esse processo de auto-conhecimento que fará você se arrepender e se orgulhar de coisas que fez ou deixou de fazer.

O processo de introspecção ajuda a entender como sua mente funciona, deixando você mais apto a evitar armadilhas e principalmente, a mudar. Mas a coisa não é assim tão fácil. Temos a tendência de repetir padrões de conduta, cometendo sempre os mesmos erros. Sabe aquela amiga que vai pedir dinheiro emprestado outra vez? E você vai acabar emprestando? Ou seu chefe que vai te chamar para a reunião no final da tarde e vai te segurar por horas? E você vai? Pois é…

A Introspectiva 2013 colocará você na incômoda posição de ter que explicar – para si mesmo – a razão de não mudar. Esse exercício é incômodo, pois mentir para si mesmo não é confortável, ninguém gosta de ser confrontado com suas fraquezas. Preferimos o auto-engano, a continuidade confortável dos processos que podem não ser os melhores, mas são familiares.

Comece 2014 realizando uma introspectiva 2013. Olhando para o que aconteceu no mundo, no Brasil, em sua cidade, em sua família – mas refletindo sobre como você reagiu aos acontecimentos. Que atitudes tomou, o que aprendeu e o que é que vai fazer a respeito.

Mudar dói. Reconhecer fraquezas dói também. Mas a alternativa é deixar como está pra ver como é que fica.

Um jeito bem vagabundo de começar 2014, não é?

Feliz Ano Novo.

Luciano Pires