Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Indignite aguda

Indignite aguda

Luciano Pires -

Em 2009 fui contratado para palestrar num grande evento, contratação cheia de exigências, mas pagando muito bem e rapidamente. Convites impressos, divulgação feita, faltando três dias para o evento fui informado de que o tempo para a palestra, que é de 90 minutos, seria de 30 minutos. Como assim 30 minutos? Eu tinha no contrato, em letras vermelhas, que o tempo de duração da palestra é 90 minutos! Trinta minutos é muito pouco para o tema escolhido.

Liguei para ver o que aconteceu e conversei com uma menina de 25 anos de idade, assistente de alguma coisa, que estava mais preocupada com o buffet do que com o conteúdo da palestra. Tentei argumentar, mas logo percebi que era melhor deixar como estava, pois não adiantava reclamar. Aliás, não tinha nem para quem reclamar! Mas não me conformei… Encontrei um amigo e comentei com ele a minha indignação:

– Vão gastar uma bala de dinheiro entre cachê, transporte aéreo, hospedagem e alimentação para eu falar 30 minutos? Não me conformo!

E meu amigo:

– Estão pagando bem? Então vai, faz e fica quieto!

E chegou o dia do evento. Desorganizado, atrasado, com meia dúzia de pessoas no auditório e a certeza de que os promotores realmente se preocuparam mais com o buffet e a decoração milionária do que em encher o auditório de gente interessada. Jogaram dinheiro fora. Não perdi a chance de comentar com os outros dois palestrantes sobre o absurdo da situação. E o que você acha que ouvi?

– Tão pagando muito bem! Faz o seu e fica quieto!

E os dois fizeram suas micro-palestras e não se importaram com mais nada. Enquanto isso eu sofria, pois sabia que tinha deixado de fora da palestra coisas legais e importantes que em 30 minutos não poderiam ser passadas ao público. Estava preocupado com o ritmo, com o humor, com o conteúdo. Queria entregar 120% do que foi contratado. Os outros dois? Nem aí… O cliente pagou bem, tá tudo bem.

Pois vira e mexe essa situação se repete. Será que tenho algum problema? Não consigo me conformar quando vejo coisas erradas! Não consigo ligar o botão do “dane-se” e agir como se nada tivesse acontecido. Não consigo não expressar minha indignação com o desperdício de recursos, com a falta de competência, com a perda de tempo. Não estou naquele evento “por eles”, mas por mim! E por mais que eu tenha feito um bom trabalho, que a avaliação tenha sido excelente, que o cliente tenha ficado satisfeito, aquele sapo não desce. E sou acometido por um surto de indignite aguda.

Mas sou exceção. Os três com quem falei sobre o evento disseram a mesma coisa: se o cliente paga, faça o seu e fica quieto!

Até faço, sabe? Mas sofro antes, durante e depois.

De mim o cliente só comprou a palestra. A consciência não está à venda.

Luciano Pires