Artigos Café Brasil
#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

579 – A arte de falar merda
579 – A arte de falar merda
Tenha um filtro, meu caro, minha cara. Para o bem do ...

Ver mais

578 – O Círculo de ouro
578 – O Círculo de ouro
Você já parou para pensar que talvez ninguém faça ...

Ver mais

577 – Dois pra lá, dois pra cá
577 – Dois pra lá, dois pra cá
Existe uma divisão política, social e cultural no ...

Ver mais

576 – Gratitude
576 – Gratitude
Gratitude vem do inglês e francês e significa que ...

Ver mais

LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LiderCast 082 – Bruno Soalheiro – Bruno criou a ...

Ver mais

LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 – Lúcia Helena Galvão Maya é diretora da ...

Ver mais

LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 – Tito Gusmão – Tito Gusmão é um jovem ...

Ver mais

LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 –Marcio Appel executivo à frente da ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Sorte? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Chamam a atenção frases do tipo… “Não me inveje, trabalhe!”. Costuma enfeitar vidros traseiros e para-choques de caminhão. E o motivo é simples: Pode não decorar um luxuosíssimo Bugatti ...

Ver mais

Os jacobinos da “nova direita”
Bruno Garschagen
Ciência Política
Quando os antissocialistas mimetizam a mentalidade e a ação política do inimigo, tornam-se o espelho da perfídia.

Ver mais

A hora e a vez da criatividade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A hora e a vez da criatividade  Por que não no Brasil? “Eu olho para as coisas como elas sempre foram e pergunto: Por quê? Eu olho para as coisas como elas poderão vir a ser e pergunto: Por que ...

Ver mais

Cala a boca, Magdo!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Quem não se lembra do “Cala a boca, Magda”, repetido por Caco Antibes no Sai de Baixo? Magda, sua esposa, era de uma estupidez oceânica, e o bordão era gritado a cada asneira dita pela bela ...

Ver mais

Cafezinho 6 – Celebrando o fracasso
Cafezinho 6 – Celebrando o fracasso
Sobre como aprender com nossos insucessos, ...

Ver mais

Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
O nome disso é livre mercado, goste você de Pimenta ...

Ver mais

Cafezinho 4 – A intolerância
Cafezinho 4 – A intolerância
Uma organização conhecida por investir em cultura ...

Ver mais

Cafezinho 3 – A inércia
Cafezinho 3 – A inércia
Issac Newton escreveu que “um objeto que está em ...

Ver mais

Entre Rios

Entre Rios

Luciano Pires -

E lá fui eu fazer minha palestra O MEU EVEREST em Guarapuava, no Paraná. Pra chegar lá tive que desembarcar em Curitiba e pegar a estrada que vai para Foz do Iguaçu. E dá-lhe chão… São mais de três horas de estrada.

Minha palestra encerraria um evento da Cooperativa Agrária Agroindustrial que fica no distrito de Guarapuava, a cerca de 30 quilômetros da cidade. O lugar chama-se Entre Rios. E o que ocorreu quando cheguei foi uma sucessão de surpresas.

A Cooperativa foi fundada em 1951 por imigrantes alemães, austríacos e iugoslavos do vale do Danúbio. Ao deixar a estrada principal para entrar no “território” da Cooperativa, parecia que eu havia saído do Brasil.

O complexo da Cooperativa está distribuído ao longo de uma estrada em formato de “u” que sai e retorna para a rodovia principal. Quando você entra nessa estrada secundária, muito bem cuidada, começa a ver paisagens inesperadas. Os campos plantados, tudo muito bem tratado, e a cada 10 quilômetros uma comunidade. São agrupamentos de casas com arquitetura européia e um clima muito diferente do nosso. Pequenas comunidades com recursos modernos, casas bonitas, sem cercas e com grandes gramados. Parecia que eu estava no interior da Europa.

Quando cheguei à área onde ficam as instalações administrativas da Cooperativa, encontrei um imenso churrasco – preparado por voluntários – para quase mil pessoas. Uma imensa festa comunitária de interior onde todo mundo conhece todo mundo. Bonito de ver, me senti com dez anos de idade, em Bauru…

E então fui para o local da palestra, dando de cara com um excelente auditório, bonito, construído para ser um auditório e não apenas adaptado. Cadeiras confortáveis e capacidade para 800 pessoas, som e imagem de primeira. Juro que eu esperava um galpão improvisado. E comecei a reparar nas conversas do pessoal: falavam de “green belts e black belts”, de 6 Sigma e qualidade total, de indicadores e processos administrativos como aqueles com os quais lidei em 26 anos de mercado automotivo. Nada demais, se eu não estivesse dentro de uma cooperativa agrícola, em meio a uma comunidade do interior do Paraná. Eu estava rodeado de profissionais de primeira linha, gente viajada e antenada com o que existe de mais moderno nas teorias de administração pelo mundo. A Cooperativa Agrária Agroindustrial tem 1.100 empregados diretos e 520 cooperados. É grande produtora de malte (a cerveja brasileira que você toma, seja qual for a marca, tem malte deles!). Também trigo, rações e moagem de soja. E estavam preparando a inauguração de uma nova instalação onde investiram 160 milhões de reais e que praticamente dobrará a capacidade de produção da Cooperativa.

Olha só: eu não estava mais uma vez diante da maravilha que é o potencial de nosso solo, uma daquelas coisas que Deus fez no Brasil e que tanto nos orgulham. Eu estava diante de homens e mulheres – brasileiros – que estão tirando da terra o melhor que ela pode dar, com índices de produtividade capazes de causar inveja em qualquer lugar do mundo. Gente trabalhando longe dos holofotes e construindo um negócio lucrativo, moderno e sustentável. E o melhor: com um espírito de comunidade como não se vê mais nos grandes centros.

O Brasil e os brasileiros que encontrei em Entre Rios são os que não aparecem em nenhum telejornal. São um exemplo de como este país é muito maior que os cadáveres das favelas, os dólares nas cuecas, a corrupção institucionalizada, a incompetência educacional, o desmatamento incontrolável ou o sistema de saúde deteriorado que nos envergonham.

Entre Rios representa o Brasil que precisamos. E sabe de uma coisa? Existem dezenas, centenas de Entre Rios pelo Brasil.

Pena que falar deles não dá audiência.