Assine o Café Brasil
Artigos Café Brasil
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha. Um artigo de 2007 revela o tamanho da ...

Ver mais

Por que eu?
Por que eu?
Ela foi a primeira mulher a assumir publicamente que ...

Ver mais

Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro. Isca intelectual de Luciano Pires ...

Ver mais

O véinho
O véinho
Isca intelectual de Luciano Pires que pergunta: que ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida
538 – Caçadores da verdade perdida
Podcast Café Brasil 538 - Caçadores da verdade perdida. ...

Ver mais

537 – VAMO, VAMO CHAPE
537 – VAMO, VAMO CHAPE
Podcast Café Brasil 537 - Vamo,vamo, Chape. Este é um ...

Ver mais

536 – A política da pós-verdade
536 – A política da pós-verdade
Podcast Café Brasil 536 - A política da pós-verdade. ...

Ver mais

535 – Hallelujah
535 – Hallelujah
Podcast Café Brasil 535 - Hallelujah. Poucos dias atrás ...

Ver mais

LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LiderCast 052 - Hoje vamos conversar com Thiago ...

Ver mais

LíderCast 050 – Bia Pacheco
LíderCast 050 – Bia Pacheco
LiderCast 050 - Hoje vamos conversar com Bia Pacheco, ...

Ver mais

LíderCast 051 – Edu Lyra
LíderCast 051 – Edu Lyra
LiderCast 051 - Hoje conversaremos com Edu Lyra, um ...

Ver mais

LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
Lídercast 049 - Neste programa Luciano Pires conversa ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A carta que mudou a minha vida
Mauro Segura
Transformação
Mauro Segura conta em vídeo uma história pessoal, que teve origem numa carta recebida há 30 anos.

Ver mais

Tempo de escolher
Tom Coelho
Sete Vidas
“Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia.” (Albert Schweitzer)   Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns ...

Ver mais

O caso é o caso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sobre a morte do assassino nojento, tudo já já foi dito; Fidel Castro foi tarde e deve estar devidamente instalado no caldeirão-suíte número 13, com aquecedor forte, decoração vermelha e vista ...

Ver mais

SmartCamp: as startups transformam o mundo
Mauro Segura
Transformação
Vivemos o boom das startups no Brasil e no mundo. O que está por trás disso? Mauro Segura esteve no SmartCamp, que é uma competição global de startups, e fez um vídeo contando a sua experiência.

Ver mais

É Provável

É Provável

Luciano Pires -

É PROVÁVEL

Outro dia ouvi no rádio uma baita discussão sobre a política econômica. Havia sido anunciada mais uma vez a prévia da inflação da quadrissemana comparada com a quadrissemana anterior e o índice apresentava crescimento. O crescimento era de 0,02 por cento. Zero vírgula zero dois por cento. Mais ou menos nada. Ninguém pergunta qual a margem de erro desses levantamentos, vai logo colocando o zero vírgula nada como indicador de crescimento ou queda. E se for pra pior, mais destaque ainda.
A cada momento que somos expostos à mídia, recebemos uma enxurrada de estatísticas: sobe o desemprego; cai a capacidade de compra; aumenta a produção da indústria; sobe o dólar; cai o dólar…São toneladas de estatísticas que interpretam e controlam o mundo, criando verdades e simplificando as coisas. E são elas que guiam nossas vidas.
O que chama a atenção é a forma como a mídia funciona como um amplificador desses índices, transformando números que pouco ou nada querem dizer em tendências definitivas. Nada é mais forte, respeitável e verdadeiro que um economista na televisão. Mesmo com argumentos apoiados sobre zero vírgula nada por cento.
Você já reparou a distância que existe entre os índices de inflação e os preços que você paga no supermercado? Não é assustador? E no que devemos acreditar? No índice divulgado, que mostra o crescimento de zero nada da cesta básica ou no aumento de 25% da carne?
Temos que ter cuidado. Jornalistas e economistas, juntos, raramente dá coisa boa. E lá vamos nós tomando decisões sobre probabilidades. Aliás, como somos ruins para lidar com probabilidades! Nos preocupamos com a soja transgênica ou com a doença exótica na África enquanto continuamos fumando, o que representa um risco muito maior!
Deveria existir uma matéria no ensino básico, tratando das probabilidades, ensinando as crianças a calcular que impacto essas estatísticas podem ter em suas vidas, tornado-as imunes ao desbunde estatístico da mídia.
Mas não. Parece que gostamos de não aprender com o passado. Quer ver? Volte vinte anos atrás e me diga qual a probabilidade de uma sexóloga da TV tornar-se prefeita de São Paulo? Ou um ex-retirante nordestino, operário, com um discurso raivoso, sem experiência administrativa, assumir a presidência da república? Pois é…
Na próxima vez que você ouvir esse papo de estatística e probabilidades, use os números: conte até dez. E só então tome suas decisões.
E lembre-se: discursos pessimistas sempre parecem mais inteligentes que os otimistas. E talvez sejam.
Mais ou menos zero vírgula nada por cento…