Artigos Café Brasil
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

O Trivium – Capítulo 1
Alexandre Gomes
Lembra do que foi dito no primeiro texto sobre as sete Artes Liberais? Pois bem, a Irmã Miriam Joseph expõe da maneira dela, e isso pode ajudar a entender o que foi dito antes. Bom, primeiro as ...

Ver mais

Da cor do racismo ESPANHOL
Jota Fagner
Origens do Brasil
Compartilho com vocês o depoimento de uma amiga, conterrânea, que foi discriminada ao tentar entrar na Espanha. A metodologia aplicada  para decidir quem pode e quem não pode entrar  parece de um ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Não enxergar o que Temer fez de bom foi uma escolha à ...

Ver mais

Cafezinho 139 – O que não se vê
Cafezinho 139 – O que não se vê
Se o IVA passar pelo Inferno de Dante do Congresso, ...

Ver mais

Dona Helena e a Pocahontas

Dona Helena e a Pocahontas

Luciano Pires -

Num final de semana, assistindo ao DVD do filme Novo Mundo de Terrence Malick, encontrei uma cena fascinante. A atriz Q’Orianka Kilcher faz o papel da índia Pocahontas, levada para conviver com os colonos ingleses no começo do século 17 na região onde hoje é a Virgínia nos EUA. Retirada de sua aldeia a índia tem que usar roupas como as mulheres dos colonos e seu processo de “civilização” é complicado. A cena a que me referi acontece no momento em que a índia é trancada dentro de uma cabana e examina em detalhes uma… janela. Uma janela tosca, de madeira, sem nenhuma sofisticação como vidro, fechaduras metálicas ou alumínio. Ela olha sob vários ângulos, fascinada com aquela coisa fantástica que se abre e fecha, permitindo que ela veja a paisagem e também seja protegida das intempéries. Para Pocahontas em 1605 a janela de madeira era um milagre da tecnologia.

Pouco depois fui a Bauru, minha terra natal, fazer uma palestra. Fiquei hospedado na casa de meus pais e lá pelas tantas mostrei meu IPad para a minha mãe, Dona Helena, com seus 78 anos de idade. Vi repetir-se a cena do filme. Dona Helena mostrou a mesma fascinação da Pocahontas com aquele objeto capaz de fazer coisas mágicas, diferente de tudo que ela já havia visto. Para a dona Helena em 2011 o IPad é um milagre da tecnologia.

Agora imagine a rainha Elizabeth I experimentando pela primeira vez um vaso sanitário lá por 1600…  

Voltando para hoje, digamos que você é mulher, com seus vinte e poucos anos, “geração Y” total. Imagine em 2050 seu neto mostrando um videogame holográfico com sistema táctil e cheiros. Aposto que sua expressão será a mesma da Dona Helena de 40 anos atrás. Ou da Pocahontas  e da Rainha Elizabeth I 450 anos antes.  Onde quero chegar? Mais uma vez nessa história de “geração isso, geração aquilo”. A Pocahontas, a Rainha Elizabeth, a Dona Helena e aquela moça geração Y tem a mesma constituição física, o mesmo tamanho de cérebro, o mesmo número de neurônios. Sentem, ou sentiam, fome, sede, frio e calor do mesmo jeito. Se furar o dedo sai sangue. São iguaizinhas. Como igualzinha era a rainha Cleópatra 2050 anos atrás… O que as diferencia é o contexto em que nasceram, o progresso tecnológico, as transformações na economia, a cultura geral. Cada uma é produto de uma sociedade. Portanto, discutir e classificar gerações só tem sentido se a amostragem for constituída de gente que tem uma base comum de cultura histórica, econômica, educacional, linguística e social. Ou você acha que existe “Geração Y” no interior do Senegal? Nas montanhas do Nepal? No meio da selva do Cambodja? Na periferia de qualquer grande cidade brasileira?

Se fosse possível trazer a Pocahontas, que na história famosa tinha 14 anos de idade, para os dias de hoje, quanto tempo você acha que ela levaria para aprender a usar um IPad?

Geração não é horóscopo. É contexto.

Luciano Pires