Artigos Café Brasil
Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

670 – A nova Previdência
670 – A nova Previdência
No dia 12 de Junho fomos à Brasília e, no Ministério da ...

Ver mais

669 – Fora da Caixa 2
669 – Fora da Caixa 2
Você não precisa inventar a lâmpada para ser original. ...

Ver mais

668 – Fora da caixa
668 – Fora da caixa
Não é fácil hoje em dia ter uma ideia original, ...

Ver mais

667 – Ajuda, por favor
667 – Ajuda, por favor
Toda mudança implica em incomodação. Se não incomoda, ...

Ver mais

LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
Marcel Van Hattem é um jovem Deputado Federal pelo ...

Ver mais

LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
Aproveitando que o Everest está sendo discutido na ...

Ver mais

LíderCast Temporada 12
LíderCast Temporada 12
Vem aí a Temporada 12 do LíderCast, que será lançada na ...

Ver mais

LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
Servidor público de carreira, que a partir das ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – AMBIGUIDADE DA LINGUAGEM (parte 10)
Alexandre Gomes
Já que uma PALAVRA é um SÍMBOLO, um SIGNO ARBITRÁRIO ao qual é imposto um significado por convenção, é natural que esteja sujeita (a palavra) à AMBIGUIDADE. E isso pode surgir de alguns pontos: ...

Ver mais

O salário do professor brasileiro é um dos mais baixos do mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Matéria de ontem no jornal O Globo nos lembra um fato que é amplamente reconhecido: os professores brasileiros estão entre os que recebem os menores salários no mundo inteiro. Em relação aos ...

Ver mais

As cigarras, as formigas e o tal do viés ideológico
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

Komsomol brasileiro
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Um dos métodos mais eficazes para garantir a lavagem cerebral nos jovens de tenra idade (muitas vezes órfãos, vítimas da guerra ou dos pavorosos assassinatos em massa ordenados por Stalin) na ...

Ver mais

Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
É seu coeficiente de trouxidão, com a suspensão ...

Ver mais

Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Meu tempo de vida está sendo enriquecido ou só desperdiçado?

Ver mais

Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Na definição dos dicionários, disciplina é o conjunto ...

Ver mais

Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Dê uma olhada nas pautas em discussão nas mídias. Veja ...

Ver mais

Coragens

Coragens

Luciano Pires -

Os deputados Raul Jungman e Fernando Gabeira me deixaram perplexo quando participaram daquela confusão na entrada do Congresso, no dia do julgamento de Renan Calheiros. Tentaram entrar no plenário do Senado e foram impedidos pelos seguranças, entre gritos e empurrões… Nunca imaginei vê-los saindo no tapa. Não combina com eles…
Pois naquele dia, como em tantos outros, assistimos a um confronto entre coragens. De um lado a coragem moral impelindo os deputados para dentro do plenário para fiscalizar uma votação que prometia ser – como foi – vergonhosamente arranjada. De outro lado a coragem física dos seguranças a serviço dos covardes morais impedindo-os de entrar.
No campo das discussões ideológicas, coragem física é arma de quem não tem capacidade para enfrentar desafios intelectuais. Faltam argumentos? Porrada! E em nossa sociedade, infelizmente, a coragem física é mais aceita e incentivada que a coragem moral.
A coragem física tem beleza plástica. Motiva. Faz história, recebe medalhas, aparece na mídia, produz heróis. A coragem física de um bombeiro que arrisca a vida, por exemplo. A coragem do policial que combate o criminoso. A coragem do soldado que enfrenta as balas do inimigo. A coragem do domador diante do leão. Do trapezista lançando-se no espaço. A coragem do atleta que se expõe a contusões em busca da vitória. A coragem de seu filho ou sobrinho, que tira as rodinhas de apoio da bicicleta e sai equilibrando-se pela primeira vez….
Já a coragem moral não é transmitida ao vivo pela televisão. E, se for, raramente é compreendida. Coragem moral é discreta, virtualmente invisível. É muito comum que seja exercida de forma solitária. Não dá pra sentir sua força . A coragem moral raramente dá medalha, pódio ou estatuetas. Não pode ser comprada nem emprestada. E por isso as pessoas não vêem importância nela.
Já a coragem física todo mundo vê. Implica numa certa truculência. Em treinamento incansável. No desenvolvimento de reflexos. No condicionamento para responder aos momentos de pressão. E pode ser comprada. Aqueles leões-de-chácara que quebram braços são comprados pelos covardes morais. E ganham sempre, na porrada, no curto prazo.
O que acontece hoje no Congresso brasileiro é uma luta quase impossível de três ou quatro dezenas de corajosos morais contra centenas de covardes morais, que atuam com portas fechadas, bem distantes de nossos olhos. O irônico é que nos bastidores do embate moral, a coragem física é mero instrumento, o que torna a coragem moral mais importante. No entanto… Como dar valor a uma coragem que ninguém vê? Ou entende? Que não interessa à mídia? Que não se aprende na escola? Que não é referência?
Talvez os corajosos morais devessem comprar uns corajosos físicos e organizar uma militância para impor a moral na porrada.
 
– Mas isso é imoral!
 
Pois é…