Artigos Café Brasil
O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Café Brasil 613 – Biologia política
Café Brasil 613 – Biologia política
E aí? Você é de direita ou de esquerda? Se incomoda com ...

Ver mais

612 – O Efeito Genovese
612 – O Efeito Genovese
Em 1964, Kitty Genovese foi assassinada em Nova York. ...

Ver mais

611 – Momentos felizes
611 – Momentos felizes
Felicidade não existe. O que existe na vida são ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Lídercast 108 – Leandro Nunes
Lídercast 108 – Leandro Nunes
LíderCast 108 - Hoje conversamos com Leandro Nunes, um ...

Ver mais

Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Hoje conversamos com Lucia Bellocchio, uma jovem ...

Ver mais

LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 - 106 - Hoje conversamos com Labi ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Interpretações do Brasil X – As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Interpretações do Brasil X As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo “Bons jogos dependem mais de boas regras do que de bons jogadores.” James Buchanan  Considerações iniciais A ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era
Mauro Segura
Transformação
A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, ...

Ver mais

MInha culpa é sua, camarada!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A tragédia do edifício que pegou fogo e desabou no Largo do Paissandu, em São Paulo, desvendou mais um bem bolado golpe; e golpe, novamente, travestido de “movimento social”: A máfia das invasões ...

Ver mais

O domínio esquerdista na dramaturgia brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Hoje, não há qualquer ameaça ao domínio da esquerda nas novelas, filmes, séries, teatro, programas de TV, jornalismo. Por isso a reação agressiva quando alguma obra fura a ditadura cultural.

Ver mais

Cafezinho 72 – Fake News 1
Cafezinho 72 – Fake News 1
Quem julga o juiz?

Ver mais

Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Reenquadre o otário e ele vira ouro. Reenquadre a ...

Ver mais

Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
O comportamento de quem vê algo errado e nada faz a ...

Ver mais

Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Gastar nosso dinheiro conosco; nosso dinheiro com ...

Ver mais

Contemplando o caos

Contemplando o caos

Luciano Pires -

Saí de casa com antecedência de três horas para percorrer um trecho que leva menos de uma hora com trânsito normal, até o aeroporto de Cumbica, em São Paulo. E quase perdi o avião… Mais de duas horas para percorrer 60 quilômetros. O trânsito ficou totalmente parado, até muito perto de meu destino. A razão? Uma van que pegou fogo às sete e meia da manhã.

Detalhe: eu passei por ela às duas e meia da tarde…

Parada no acostamento há sete horas, sem fumaça ou chamas, parcialmente queimada. E os motoristas das cinco faixas reduzindo a velocidade para ver o veículo, provocando o congestionamento de quilômetros. Ao lado da van, um policial de trânsito observando o movimento.

Vi ali um retrato do Brasil que não nos interessa.

O acidente acontece pela manhã e sete horas depois continua o congestionamento que atrapalha a vida de centenas de milhares de pessoas, enquanto as autoridades observam.

Vi coisa parecida nos EUA. A primeira providência que eles tomam por lá é colocar tapumes que impedem a visão dos veículos acidentados. Sem nada para ver, os motoristas continuam trafegando normalmente, sem causar engarrafamentos. Uma providência que chega a ser ridícula pela obviedade, não é? E que tem um custo baixíssimo. Mas que demonstra que existe alguém pensando o problema como um todo, que há um processo para ser colocado em prática quando acontecem acidentes, e todos os envolvidos sabem o papel que lhes cabe.

Isso se chama competência. No Brasil, o policial de trânsito observa o caos… e espera. Provavelmente não tem equipamentos, não tem os tapumes, o guincho está quebrado, não tem a quem recorrer. Ou então acha que o problema não é dele e faz aquilo que pode fazer: observa, “passa um rádio” e… contempla o caos. O processo, quando existe, é pela metade. Fragmentado. Incapaz de cobrir todos os aspectos do problema. No Brasil, a competência é compartimentada, tem aqui, não tem ali, tem um pouquinho acolá, tem nadinha alhures. Lembro-me de uma palestra da Viviane Senna, sobre o Instituto Ayrton Senna, que tem um trabalho espetacular relacionado à educação. Viviane começou sua apresentação dizendo que no Brasil temos que escolher: ou qualidade ou quantidade. Não conseguimos nunca ter qualidade com quantidade. Por isso as ilhas de excelência rodeadas de bolsões de miséria e incompetência. Parece uma maldição. Temos boas ideias, temos gente capaz, temos recursos, temos boa vontade e conseguimos até mesmo desenvolver projetos fantásticos. Mas quando precisamos ampliar o alcance desses projetos, batemos de frente na incompetência.

Esse é, para mim, o maior indicativo da questão educacional no Brasil. Não conseguimos massificar a qualidade por falta de educação. Pela incapacidade das pessoas de compreender a razão do que estão fazendo, de perceber o impacto e a influência de seu trabalho no ambiente que as cerca, de entender a importância – e responsabilidade – que elas têm dentro do processo.

Tem gente que acha que isso é preguiça. Eu acho que é ignorância.

Estava estampada na cara daquele guarda de trânsito que contemplava o caos.

Luciano Pires