Artigos Café Brasil
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

687 – A herança maldita
687 – A herança maldita
Uma apresentação, com números, do descompromisso, a ...

Ver mais

686 – O Meu Everest
686 – O Meu Everest
Em 2001 eu fiz talvez a maior viagem da minha vida. ...

Ver mais

685 – Entrevista no Ranking dos Políticos
685 – Entrevista no Ranking dos Políticos
O Ranking dos Políticos é uma iniciativa civil para ...

Ver mais

684 – Susceptibilidade à negatividade
684 – Susceptibilidade à negatividade
Você está na boa, trabalhando ou fazendo suas coisas, ...

Ver mais

LíderCast 174 – Eduardo Albano
LíderCast 174 – Eduardo Albano
Diretor de conteúdo da Ubook, plataforma que está ...

Ver mais

LíderCast 173 – Henrique Prata
LíderCast 173 – Henrique Prata
O homem que fundou o Hospital do Câncer de Barretos, ...

Ver mais

LíderCast 172 – Paulo Vieira
LíderCast 172 – Paulo Vieira
Paulo Vieira está à frente da Next Academy, maior ...

Ver mais

LíderCast 171 – Fabiana Salles
LíderCast 171 – Fabiana Salles
Uma empreendedora que, a partir da criação de um ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Sem enredo
Chiquinho Rodrigues
Ainda bem que o U2 pegou um avião e foi pra puta-que-pariu! Eu já não aguentava mais, cara! Te juro que se eu visse o Bono Vox mais uma vez no Jornal Nacional ou na droga de um palanque qualquer ...

Ver mais

O melhor lugar da vida pra você usar a criatividade é na própria vida
Henrique Szklo
Muito se fala sobre a criatividade, mas a maioria não sabe exatamente para que serve, como utilizá-la, em que momento nem seu significado mais profundo. O número excepcional de atividades que ...

Ver mais

Nosso Pearl Harbor
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Quando o Japão atacou os Estados Unidos, em 1941, destruindo a base aeronaval de Pearl Harbor, o então presidente Franklin D. Roosevelt discursou no congresso, externando toda a sua revolta pelo ...

Ver mais

Destaques da Aula 5 do Curso on-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
Lembremos que o objetivo dessa série é chamar atenção para o conteúdo do Curso On-line de Filosofia, que pode ser acessado na página do Seminário de Filosofia. Os principais destaques da aula de ...

Ver mais

Cafezinho 220 – Mulheres gostosas fazem sexo e morrem no Everest
Cafezinho 220 – Mulheres gostosas fazem sexo e morrem no Everest
Assim como dinheiro atrai dinheiro, popularidade atrai ...

Ver mais

Cafezinho 219 – Brasil recusado na OCDE
Cafezinho 219 – Brasil recusado na OCDE
Para essa gente, o Brasil não pode dar certo.

Ver mais

Cafezinho 218 – Ignorância Pluralística
Cafezinho 218 – Ignorância Pluralística
Colocando em você o medo de ser apontado como o único ...

Ver mais

Cafezinho 217 – Os sinais
Cafezinho 217 – Os sinais
Os sinais de que o Brasil é diferente do que aparece na ...

Ver mais

Como Vai, Como Vai. Como Vai?

Como Vai, Como Vai. Como Vai?

Luciano Pires -



COMO VAI, COMO VAI, COMO VAI?


Ilustração de ELDES – www.eldes.com



Waldemar Seyssel, o Arrelia, faleceu esta semana no Rio de Janeiro, aos 99 anos. Qualquer adulto, na faixa dos 40, que ainda mantenha dentro de si uma criança há de se lembrar com carinho do palhaço Arrelia. Houve um tempo em que o Circo do Arrelia era o programa obrigatório para as crianças na tv. Era uma época em que não existia controle remoto e as pessoas assistiam tv comentando, saboreando e compartilhando em grupo uma atividade que hoje realizamos praticamente a sós.



Arrelia não gostava que seus companheiros usassem maquiagem carregada nem roupas muito espalhafatosas. Ele acreditava que as crianças pequenas teriam medo do exagero. Um palhaço que respeitava seu público.



Arrelia era um cartunista. Exprimia valores morais sob a forma de pequenos quadros de humor, piadas ingênuas e uma presença em cena que era hipnótica. Seu abraço, sempre levantando um dos pés… o cumprimento que virou bordão num tempo em que os publicitários não haviam se apoderado dos bordões para vender produtos, entrou para a história: “Como vai, como vai, como vai? Como vai, como vai, vai, vai? Muito bem, muito bem, muito bem. Muito bem, muito bem, bem, bem…”.



Assisti uma apresentação de Arrelia na Associação Luso Brasileira de Bauru, acho que no comecinho dos anos 70 ou final dos 60. Eu tinha lá meus 12 anos e ele já tinha mais de 60. O que me chamou a atenção foi que eu vi, debaixo daquela maquiagem, um velhinho. Dava para perceber as rugas e isso me incomodou. Pela primeira vez passou pela minha cabeça que talvez aquela figura mágica não fosse eterna. O meu palhaço Arrelia estava envelhecendo. E isso me dava uma dimensão diferente da vida. Se meu herói ficava velho… Talvez tudo ficasse também.



Pois desconfio que Arrelia sabia do impacto de seu envelhecimento sobre seus pequenos fãs. Tanto que esperou até que todos se tornassem adultos para então morrer, aos 99 anos.



Salvo os parentes, sua morte não causará lágrimas em criança alguma.



Mais ou menos… Eu não sei quanto a você, mas eu, de adulto, só tenho a casca. Sentadinho lá na sala de comando, esperando a chance pra sair, continua o Lucianinho que, na ilimitada sabedoria de seus eternos 12 anos, ao ser perguntado “Como vai, como vai, como vai?”, só tem uma resposta: “Muito bem, muito bem, muito bem. Muito bem, muito bem, bem, bem”.



O Lucianinho sente falta do Arrelia. Não entende a pressão do mundo para que responda “Mais ou menos… muito mal… não interessa… pra que você quer saber?…”.



Nem entende o Brasil aonde o palhaço mais famoso vem do estrangeiro, chama-se Ronald McDonald´s e tem como função, em vez de fazer rir, vender hambúrguer.



Por sorte, no lugar onde o Lucianinho vive, tem um espaço pro Arrelia.



Um espaço onde seus heróis nunca envelhecem.