Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

597 – Simplifique
597 – Simplifique
O programa de hoje é um presente. Reproduzimos na ...

Ver mais

596 – A complicada arte de ver – revisitado
596 – A complicada arte de ver – revisitado
“A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o ...

Ver mais

595 – A empatia positiva
595 – A empatia positiva
Se você construir uma linha emocional imaginária, numa ...

Ver mais

594 – Sultans of Swing
594 – Sultans of Swing
Láááááá em 1977 uma obscura banda inglesa começou a ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

LíderCast 93 – Max Oliveira
LíderCast 93 – Max Oliveira
Max Oliveira, empreendedor que fundou a Max Milhas, uma ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

País de Santos
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Há dias um assunto artificialmente inflado ocupa sites e jornais: A posse interrompida da ex-quase-futura ministra do Trabalho, deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), filha do conhecido ...

Ver mais

Jonatan, o Tolo
Bruno Garschagen
Ciência Política
Jonatan é o tolo cuja credulidade fantasiosa corrompeu qualquer traço de inocência

Ver mais

Projeções econômicas do Brasil para 2018
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Projeções econômicas do Brasil para 2018[1] Com uma sólida formação humanista, um economista pode afirmar que quanto menor a intervenção do Estado na economia de mercado, mais rico será este país ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Cafezinho 39 – Como fazer críticas nutritivas
Cafezinho 39 – Como fazer críticas nutritivas
Num cafezinho anterior falei sobre a importância de ...

Ver mais

Cafezinho 38 – A agarra
Cafezinho 38 – A agarra
Basta implantar uma dúvida, uma agarra... e pronto! A ...

Ver mais

Cafezinho 37 – Sobre críticas
Cafezinho 37 – Sobre críticas
Saber avaliar as críticas é fundamental, mas saber ...

Ver mais

Cafezinho 36 – Velhos problemas
Cafezinho 36 – Velhos problemas
O Brasil não tem problemas novos.

Ver mais

Chefepédia

Chefepédia

Luciano Pires -

Uma das grandes vantagens em ser palestrante é que a gente navega por todo tipo de mercado, empresa e tribo. E com o tempo vamos aprendendo a definir os estilos dos chefes pela reação do público. São nítidas as diferenças entre uma empresa fortemente baseada na hierarquia e outra onde a relação liderança x subordinados é pautada pela camaradagem e informalidade. Sempre pensei em escrever a respeito, mas preferi analisar e buscar informações complementares. E acabei tendo uma idéia: criar a Chefepédia, a Enciclopédia Livre sobre Liderança.

Algum tempo atrás, comentando um de meus artigos, o leitor Caio Marcio apresentou-me três conceitos de gerenciamento bastante interessantes, que servem para apresentar a você os três primeiros verbetes da Chefepédia. Os nomes dos dois primeiros estão em inglês, provavelmente por terem se originado nos EUA onde parece existir um ninho de modismos e rótulos sobre administração e liderança. Mas estes não são modismos, não. Definem estilos de liderança e existem em todo lugar, quer ver?

O MBWA – Management By Walking Around, o gerenciamento por “dar voltas”. Diante da dificuldade (ou da responsabilidade) de tomar uma decisão, as pessoas ficam dando voltas. Pedem mais dados, pedem mais tempo, procuram outras opiniões, encontram empecilhos, empurram com a barriga, sabe como é? Na hora de tomar a decisão sempre surge um fato novo para manter as coisas indefinidas. Quem sabe alguém esquece que a decisão tem de ser tomada… Ou melhor ainda, quem sabe alguém mais acima dá uma ordem e transfere a responsabilidade, não é? Ou um colega ao lado dá uma bobeada e a responsabilidade vai parar no colo dele? Você conhece gente assim? Pois agora tem um rótulo elegante: MBWA.

O MBFOA – Management By Fear Of Auditors. O gerenciamento por medo dos auditores. Apavoradas com a idéia de quebrar alguma regra e ter que assumir a responsabilidade, as pessoas gerenciam conforme “o que está escrito”. Nada de interpretações criativas, nada de concessões, nada de riscos. Faça o que está escrito ou o auditor te pega! A grande vantagem é que tudo passa a ser culpa do auditor. Ele é o vilão, o que não faz e nem deixa fazer.

– Ah, sem ele nosso trabalho seria um paraiso!

A primeira coisa que falece com o MBFOA é a inovação. Esqueça. Inovar é quebrar regras, é mudar, é criar instabilidades. E a última coisa que um auditor quer ver são instabilidades, sacou?

O terceiro verbete está – em parte – em português. Pelo grau de sacanagem parece ter sido inventado por aqui mesmo: o MPQF – Management Por Queima de Fusíveis. Este é genial, e o mais maquiavélico. É muito usado no serviço público e funciona assim: na organização, algumas funções mais ou menos importantes e sempre com alguma visibilidade, são ocupadas por “pessoas fusíveis”. Em caso de crise, essas pessoas são queimadas, declarando-se resolvido o problema, sacou?

– Já botamos o responsável na rua! Agora está tudo bem!

Quantas vezes você já viu/ouviu isso? Pois é. E se você reconheceu alguém, saiba que é assim mesmo. O MBWA, o MBFOA e MPQF estão aí do seu lado, meu caro! Se bobear, já pegaram você.

Você conhece outros estilos assim? Por favor, mande pra mim.

Vamos montar a Chefepédia!

Luciano Pires