Assine o Café Brasil
Artigos Café Brasil
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha. Um artigo de 2007 revela o tamanho da ...

Ver mais

Por que eu?
Por que eu?
Ela foi a primeira mulher a assumir publicamente que ...

Ver mais

Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro. Isca intelectual de Luciano Pires ...

Ver mais

O véinho
O véinho
Isca intelectual de Luciano Pires que pergunta: que ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida
538 – Caçadores da verdade perdida
Podcast Café Brasil 538 - Caçadores da verdade perdida. ...

Ver mais

537 – VAMO, VAMO CHAPE
537 – VAMO, VAMO CHAPE
Podcast Café Brasil 537 - Vamo,vamo, Chape. Este é um ...

Ver mais

536 – A política da pós-verdade
536 – A política da pós-verdade
Podcast Café Brasil 536 - A política da pós-verdade. ...

Ver mais

535 – Hallelujah
535 – Hallelujah
Podcast Café Brasil 535 - Hallelujah. Poucos dias atrás ...

Ver mais

LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LiderCast 052 - Hoje vamos conversar com Thiago ...

Ver mais

LíderCast 050 – Bia Pacheco
LíderCast 050 – Bia Pacheco
LiderCast 050 - Hoje vamos conversar com Bia Pacheco, ...

Ver mais

LíderCast 051 – Edu Lyra
LíderCast 051 – Edu Lyra
LiderCast 051 - Hoje conversaremos com Edu Lyra, um ...

Ver mais

LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
Lídercast 049 - Neste programa Luciano Pires conversa ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A carta que mudou a minha vida
Mauro Segura
Transformação
Mauro Segura conta em vídeo uma história pessoal, que teve origem numa carta recebida há 30 anos.

Ver mais

Tempo de escolher
Tom Coelho
Sete Vidas
“Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia.” (Albert Schweitzer)   Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns ...

Ver mais

O caso é o caso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sobre a morte do assassino nojento, tudo já já foi dito; Fidel Castro foi tarde e deve estar devidamente instalado no caldeirão-suíte número 13, com aquecedor forte, decoração vermelha e vista ...

Ver mais

SmartCamp: as startups transformam o mundo
Mauro Segura
Transformação
Vivemos o boom das startups no Brasil e no mundo. O que está por trás disso? Mauro Segura esteve no SmartCamp, que é uma competição global de startups, e fez um vídeo contando a sua experiência.

Ver mais

Chefepédia

Chefepédia

Luciano Pires -

Uma das grandes vantagens em ser palestrante é que a gente navega por todo tipo de mercado, empresa e tribo. E com o tempo vamos aprendendo a definir os estilos dos chefes pela reação do público. São nítidas as diferenças entre uma empresa fortemente baseada na hierarquia e outra onde a relação liderança x subordinados é pautada pela camaradagem e informalidade. Sempre pensei em escrever a respeito, mas preferi analisar e buscar informações complementares. E acabei tendo uma idéia: criar a Chefepédia, a Enciclopédia Livre sobre Liderança.

Algum tempo atrás, comentando um de meus artigos, o leitor Caio Marcio apresentou-me três conceitos de gerenciamento bastante interessantes, que servem para apresentar a você os três primeiros verbetes da Chefepédia. Os nomes dos dois primeiros estão em inglês, provavelmente por terem se originado nos EUA onde parece existir um ninho de modismos e rótulos sobre administração e liderança. Mas estes não são modismos, não. Definem estilos de liderança e existem em todo lugar, quer ver?

O MBWA – Management By Walking Around, o gerenciamento por “dar voltas”. Diante da dificuldade (ou da responsabilidade) de tomar uma decisão, as pessoas ficam dando voltas. Pedem mais dados, pedem mais tempo, procuram outras opiniões, encontram empecilhos, empurram com a barriga, sabe como é? Na hora de tomar a decisão sempre surge um fato novo para manter as coisas indefinidas. Quem sabe alguém esquece que a decisão tem de ser tomada… Ou melhor ainda, quem sabe alguém mais acima dá uma ordem e transfere a responsabilidade, não é? Ou um colega ao lado dá uma bobeada e a responsabilidade vai parar no colo dele? Você conhece gente assim? Pois agora tem um rótulo elegante: MBWA.

O MBFOA – Management By Fear Of Auditors. O gerenciamento por medo dos auditores. Apavoradas com a idéia de quebrar alguma regra e ter que assumir a responsabilidade, as pessoas gerenciam conforme “o que está escrito”. Nada de interpretações criativas, nada de concessões, nada de riscos. Faça o que está escrito ou o auditor te pega! A grande vantagem é que tudo passa a ser culpa do auditor. Ele é o vilão, o que não faz e nem deixa fazer.

– Ah, sem ele nosso trabalho seria um paraiso!

A primeira coisa que falece com o MBFOA é a inovação. Esqueça. Inovar é quebrar regras, é mudar, é criar instabilidades. E a última coisa que um auditor quer ver são instabilidades, sacou?

O terceiro verbete está – em parte – em português. Pelo grau de sacanagem parece ter sido inventado por aqui mesmo: o MPQF – Management Por Queima de Fusíveis. Este é genial, e o mais maquiavélico. É muito usado no serviço público e funciona assim: na organização, algumas funções mais ou menos importantes e sempre com alguma visibilidade, são ocupadas por “pessoas fusíveis”. Em caso de crise, essas pessoas são queimadas, declarando-se resolvido o problema, sacou?

– Já botamos o responsável na rua! Agora está tudo bem!

Quantas vezes você já viu/ouviu isso? Pois é. E se você reconheceu alguém, saiba que é assim mesmo. O MBWA, o MBFOA e MPQF estão aí do seu lado, meu caro! Se bobear, já pegaram você.

Você conhece outros estilos assim? Por favor, mande pra mim.

Vamos montar a Chefepédia!

Luciano Pires