Artigos Café Brasil
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

653 – LíderCast 11
653 – LíderCast 11
Mais uma temporada do LíderCast. Esta aqui é a décima ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

LíderCast 141 – Ronaldo Lira
LíderCast 141 – Ronaldo Lira
Procurador do Ministério Público do Trabalho, uma ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

A abundante mente semanal
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: https://youtu.be/hHzgP5sqbjM LIVE COMPLETA: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157193323018631/   Quer fazer? Me mande um zap: 21-996086422. R$ 200,00 ...

Ver mais

Luciano Pires, o cara que chegou ao meiostream
Carlos Nepomuceno
RESUMO: “ Podcast não tem ouvinte. Podcast tem torcida”!!! – Luciano Pires. Tive o prazer de conversar ontem por mais de uma hora com o criativo Luciano Pires, coordenador do projeto Café Brasil, ...

Ver mais

Por dentro da comunicação interna do McDonald’s no Brasil
Mauro Segura
Transformação
Como fazer comunicação interna p/ uma empresa que tem 50 mil jovens funcionários, sendo que 90% deles estão no primeiro emprego, atendendo mais de 2 milhões de clientes todos os dias? Como gerir ...

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Dê o primeiro passo para fazer com que o tempo de vida ...

Ver mais

Cafezinho 157 – Papo de bêbado 2
Cafezinho 157 – Papo de bêbado 2
Se eu fosse o Bolsonaro, nestes primeiros 100 dias ...

Ver mais

Cafezinho 156 – O que é que aconteceu com o carnaval?
Cafezinho 156 – O que é que aconteceu com o carnaval?
O que é que aconteceu com o carnaval? Meus amigos da ...

Ver mais

Causa ou negócio?

Causa ou negócio?

Luciano Pires -

Em minha palestra A Fórmula da Inovação, apresento um trecho de uma entrevista do jogador de basquete Oscar Schmidt com a jornalista Marília Gabriela. Gabi pergunta:

– Dizem que o gol é o orgasmo do futebol. Qual é o orgasmo do basquete?

E Oscar, sem hesitar, responde:

– Jogar pela Seleção Brasileira! Gabi, não existe nada melhor que isso! Eu sou nacionalista, jogar pela Seleção… não tem prazer maior que isso. E sem ganhar nada! Sabe quanto nós ganhamos para ganhar o Pan-Americano (Jogos Pan-Americanos realizados em Indianápolis nos EUA em 1987 quando o Brasil derrotou a imbatível seleção norte-americana e ficou com o ouro)?

– Não faço ideia.

– Quinhentos dólares! Mas eu, o Marcel e o Israel não quisemos receber. É tão pouco que é muito mais bonito dizer que foi de graça… E eu tenho o maior orgulho disso. Eu vinha da Itália nas minhas férias defender o Brasil, sem ganhar nada, sem seguro! Eu sou alto, mas havia mais altos que eu, que viajavam para a China, 30 horas, de econômica, encolhidos… Mas jogar pela Seleção Brasileira, não tem prazer maior! Jogar pela Seleção Brasileira, pra mim, é o orgasmo do basquete.

Então concluo citando alguns nomes de famosos jogadores de futebol que jamais dariam uma entrevista como aquela. São profissionais de primeira categoria que defendem um negócio como ninguém, mas que jamais fariam o que Oscar fez.

Oscar era diferente, não defendia um negócio, defendia uma causa. Quando entrava em campo com a camisa da Seleção Brasileira de basquete, aquilo não era mais basquete, mas alguma coisa mágica que fazia com que ele contaminasse o próprio time, que aceitasse sacrifícios impensáveis. E assim Oscar entrou para o Hall Of Fame do basquete mundial como o maior cestinha da história.
Um brasileiro jogando na Itália…

É impossível compreender Oscar apenas pelas estatísticas, pelos jogos dos quais participou, pela efetividade nos passes, pelas cestas que fez, pelas coisas que podemos medir. O que fez de Oscar, Oscar, não foram números e estatísticas. Não foram regras. Não foi a disciplina tática. Não foram as horas de treinamento. Oscar é Oscar por causa de um fogo interior, uma força inexplicável que o guiou na direção de um propósito, que orientou suas escolhas.

Oscar só chegou aonde chegou por defender uma causa, não um negócio.

Bem, escrevo estas linhas no calor do julgamento do Mensalão, após o Ministro Celso de Mello votar a favor dos embargos infringentes que vão empurrar o processo para 2014 ou 2015 e garantir aos mensaleiros penas brandas, cumpridas (se cumpridas) fora da cadeia. Uma tremenda frustração para quem esperava que a justiça fosse feita.

Mas espere um pouco… a Justiça foi feita! O Ministro votou baseado na lei, sua argumentação está correta e suportada pelas leis brasileiras, assim como estaria se ele desse um voto contrário. O tema é cabeludo e comporta várias interpretações, por isso precisamos de juízes, de craques como Celso de Mello.

Pois é. Mas quando mais precisávamos de um juiz que defendesse uma causa, topamos com um que defende um negócio.

E o Brasil perdeu.

Luciano Pires