Artigos Café Brasil
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Causa E Conseqüência

Causa E Conseqüência

Luciano Pires -


CAUSA E CONSEQÜÊNCIA

 


Vou contar umas historinhas do Brasil. E no final, farei uma pergunta:

 

História 1: Mariana Costa de Jesus, de 5 anos, morreu no Hospital Infantil de Duque de Caxias, no dia 15 de fevereiro, após ter sido estuprada e espancada pelo padrasto, Marco Antonio Nunes Gomes. Detalhe: ela foi levada ao hospital pelo próprio padrasto… O corpo de Mariana ficou abandonado uma semana no Instituto Médico Legal até ser reconhecido pelo bisavô, que disse à polícia que o padrasto da menina era um monstro que vivia na Favela do Lixão, em Duque de Caxias. Segundo o bisavô, Marco Antonio costumava espancar a menina. Algum tempo depois, a polícia encontrou o corpo de Marco Antonio abandonado na rua. Ele teria sido linchado pela população revoltada com o crime. E agora, o corpo abandonado no Instituto Médico Legal é o dele. Segundo a polícia, a mãe do acusado, revoltada com a morte da menina, se recusou a reconhecer o corpo do filho. Prefere que ele seja enterrado como indigente.

 

História 2: Társio Wilson Ramirez conheceu há dez anos Jerome, um dos franceses da ONG Terra Ativa, que se tornou professor e amigo dele. O garoto de infância humilde ganhou uma oportunidade na organização: ele comandava um projeto de educação envolvendo 50 crianças pobres, e graças à ONG, tinha uma bolsa e cursava faculdade de administração de empresas.
Segundo as investigações, Társio estava desviando dinheiro da entidade e o crime teria sido descoberto pelo contador. Para a polícia, esse foi o motivo para que Társio e outros dois bandidos contratados por ele matassem a golpes de faca os franceses Cristian e Delfine Doyere, e Jerome Four, no Rio de Janeiro.

 

História 3: Em Mauá (SP), Paulo André dos Santos chega em casa e ao abrir o portão da garagem, dois indivíduos anunciam um assalto, repetindo o que havia ocorrido uma semana antes. Apavorado, o rapaz joga-se no chão. Um dos assaltantes atira e a bala atinge Vitória Gabrielly Silva de Carvalho de 3 anos, sobrinha do rapaz assaltado. Vitória estava no colo do avô, que tinha vindo abrir a porta para o filho. A menina morre pouco depois no hospital.

 

História 4: João Hélio, um menino de 6 anos, preso ao cinto de segurança do automóvel, é arrastado por sete quilômetros de ruas do Rio de Janeiro. O carro havia sido roubado da mãe do menino, que não teve tempo de soltá-lo do cinto de segurança. Os ladrões, entre eles um menor, arrancaram com o veículo, mesmo com os gritos da mãe pedindo que esperassem ela soltar o garoto. O menino morreu de forma estúpida e os bandidos não pararam o veículo mesmo com os avisos dos populares que assistiram estarrecidos à cena.

 

História 5: Durante um evento em Ipojuca (PE), o presidente Lula mais uma vez criticou os que defendem a redução da maioridade penal. Segundo ele, é um engano pensar que o problema da violência se resolve punindo. E coroou sua fala com uma frase antológica: “Muitas vezes a violência é questão de sobrevivência”.

 

História 6: Bandidos capturam e incendeiam ônibus no Rio de Janeiro, com os passageiros dentro. Vários passageiros conseguem escapar, mas o saldo até o momento é de nove mortos. O ônibus era de outro estado e estava de passagem pelo Rio, quando foi atacado pelos bandidos, que aparentemente cometeram o ato por vingança ou protesto contra ações de repressão ao crime que vinham sofrendo.

 

História 7: O Supremo Tribunal Federal retomou dia primeiro de março o julgamento de recurso destinado a garantir o foro privilegiado a “agentes políticos” processados por improbidade administrativa, mesmo que já tenham deixado o cargo. Dos 11 ministros do STF, seis já votaram a favor dos políticos e um contra. Restam votar quatro ministros. A medida, se aprovada, impedirá que ministros de Estado e o presidente da República sejam fiscalizados por procuradores na primeira instância da Justiça, como ocorre hoje. Além de paralisar os processos em andamento, a decisão do STF permitirá que administradores já condenados possam pedir a restituição de valores que foram obrigados a devolver aos cofres públicos. Cerca de 10 mil inquéritos e ações judiciais contra autoridades acusadas de corrupção podem ser arquivados. Os defensores do foro privilegiado querem que presidentes da República, ministros, governadores e prefeitos envolvidos em corrupção não sejam mais atingidos pela lei.

 

Quer mais? Posso continuar indefinidamente, pois temos historinhas para uma enciclopédia. Mas eu cansei. E vou logo pra pergunta.

– Das sete histórias apresentadas, qual você classificaria como causa e qual como conseqüência?

Ei, calma, ô! Perguntar não ofende…