Artigos Café Brasil
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

622 – O Esfíncter Intelectual
622 – O Esfíncter Intelectual
O interessante do esfíncter é que ele não deixa sair, ...

Ver mais

Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Em junho de 2018 realizamos o II Sarau Café Brasil, ...

Ver mais

Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
"Se começarmos a cercar com paredes aquilo que alguns ...

Ver mais

619 – LíderCast 9
619 – LíderCast 9
Neste programa apresentamos os convidados da Temporada ...

Ver mais

LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
Professor, palestrante, uma das mentes mais divertidas ...

Ver mais

LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
Empreendedor, com uma história incrível de como o ...

Ver mais

LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
“Eu não tenho muros, só tenho horizontes” é a frase de ...

Ver mais

LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
Professor, consultor, com vasta experiência no setor ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

É milagre, Crivella?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O Rio de Janeiro continua lindo Gil, e complicado; mais do que isso, espantoso. Não dá pra entender a razão pela qual os fluminenses elegem gente (latu sensu, ófi córsi) como Anthony Garotinho, ...

Ver mais

O despertador intelectual e a origem das ideias
Jota Fagner
Origens do Brasil
Possivelmente você teve uma pessoa que, em determinado momento de sua vida, acendeu a faísca da sua curiosidade sobre determinado assunto ou área do conhecimento. Talvez tenha sido mais de uma ...

Ver mais

Os caminhos para editar um livro
Isqueiro isqueiro
Muitas pessoas investem um tempo considerável colocando suas histórias e lições de forma escrita, para se perpetuarem na forma de livros. Mas, ao concluírem o texto, muitas vezes o guardam em ...

Ver mais

As causas e efeitos das barreiras de comunicação no trabalho
Mauro Segura
Transformação
Uma das maiores barreiras atuais para o sucesso de qualquer empresa é a comunicação no ambiente de trabalho, por mais irônico que isso possa aparecer por conta de todas as facilidades ...

Ver mais

Cafezinho 89 – Manifesto
Cafezinho 89 – Manifesto
Quero um mundo melhor, igualzinho a você. Talvez ...

Ver mais

Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Não existem soluções novas. O que existe é ignorância velha.

Ver mais

Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Se você não avaliar cada processo que consome seu tempo ...

Ver mais

Cafezinho 86 – Ser e parecer
Cafezinho 86 – Ser e parecer
É simples! É só fingir ser perfeito...

Ver mais

Casimiro e o Bauru

Casimiro e o Bauru

Luciano Pires -

“Inovação como disciplina se pratica por meio do uso imaginativo – e não genial – de conhecimentos que estão ao alcance de todos. Para conceber novas maneiras de fazer velhas coisas.”. Li essa frase num ótimo artigo do Clemente Nóbrega. Olha que legal! A inovação que não precisa de genialidade, que está na cara da gente, que precisa é de imaginação. É essa a inovação necessária, que está ao alcance de qualquer um a qualquer hora e em qualquer lugar…

Foi então que me lembrei de uma historinha que cabe como uma luva no conceito do Clemente: a criação do sanduíche Bauru.

Bauru… Sou de lá, portanto tenho um atributo raro: nasci numa cidade com nome de sanduíche. Jamais ganhei algo com isso a não ser a facilidade de denominar minha origem com um nome bastante familiar. Afinal, não estou falando de um sanduíche qualquer, mas do delicioso e nutritivo Bauru, que é marca de sanduíche muito antes dos BigMacs. Você pode não acreditar, mas o Bauru é internacionalmente conhecido. Eu mesmo vi num bar em Nova Iorque!  Não pedi o sanduíche deles, pois fiquei com medo, mas que deu um orgulho, isso deu…

Sempre que vou pra Bauru, dou uma parada no tradicional Bar do Skinão, onde é servido o Bauru como foi originalmente criado. Recentemente meu pai publicou em seu jornal Bauru Ilustrado uma bela reportagem contando como nasceu o sanduíche. Veja só:

Tudo começou com um estudante bauruense de Direito que vivia na cidade de São Paulo nos anos 30: Casimiro Pinto Neto. Casimiro era frequentador do famoso bar Ponto Chic, no Largo do Paissandú (está lá até hoje, meio caído mas ainda em funcionamento). Um dia, no final dos anos trinta (ninguém sabe precisar a data), Casimiro tomou contato com um livreto chamado “O Livro das Mãezinhas”, uma daquelas publicações que décadas atrás serviram para mudar o quadro da saúde pública brasileira. O livreto foi escrito por Wladimir de Toledo Piza e ensinava as mães a equilibrar a dieta de seus bebês. Casimiro encantou-se com a forma didática com que Wladimir definia a combinação de proteínas, carboidratos, gorduras, minerais e vitaminas. Numa noite, chegando ao Ponto Chic, o bauruense anunciou: “Hoje vou receitar um sanduíche saudável”. E pediu ao sanduicheiro Carlos: “Abra um pão francês, tire o miolo e bote um pouco de queijo derretido. Falta um pouco de albumina e proteína: coloque umas fatias de rosbife. Agora falta vitamina. Bote umas fatias de tomate.“ E assim foi. Naquela época (e acho que ainda um pouco hoje em dia), era costume chamar as pessoas pelo nome da cidade de onde vinham. Casimiro era o “Bauru”. O sanduíche despertou o apetite dos companheiros de mesa que logo pediram: “Fulano, me faz um aí igual ao do Bauru.”.

Pronto! Nasceu o sanduíche Bauru.

Com o tempo o pessoal do Ponto Chic incrementou a receita, com pepino em conserva e uma combinação de queijos fundidos, e o Bauru se transformou num sucesso. Depois algum gênio financeiro resolveu baratear o sanduíche e fez aquela coisa de pão de forma, muzzarela, presunto e tomate. E um oréganozinho pra disfarçar. Um Bauru esculachado, que ficou ainda mais popular.

Viu só? Num simples sanduíche um exemplo de como a imaginação pode transformar o trivial numa inovação. Aposto que Casimiro Pinto Neto não tinha idéia de que estava criando um ícone da culinária nacional.

Mas sabe o que me ocorreu agora? Já pensou se tivessem botado no sanduíche o nome de Casimiro? Ou Pinto? Ou Neto?

Ainda bem que Casimiro era o Bauru…

Saiba mais sobre o Bauru acessando: http://www.lucianopires.com.br/idealbb/view.asp?topicID=13127&pageNo=1#51607

Luciano Pires