Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

682 – LíderCast 13
682 – LíderCast 13
É isso que é o LíderCast. Uma homenagem a quem ...

Ver mais

681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
Agrotóxicos surgiram na Segunda Guerra Mundial, para ...

Ver mais

680 – Nova Previdência 2
680 – Nova Previdência 2
A Nova previdência é o primeiro passo para colocar o ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
Marilia Guimarães e Eduardo Dantas – a dupla ...

Ver mais

LíderCast 168 – Pedro Hipólito
LíderCast 168 – Pedro Hipólito
CEO da Five Thousand Miles, empresa portuguesa que se ...

Ver mais

LíderCast 167 – João Kepler
LíderCast 167 – João Kepler
Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro exagera?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Como se já não enfrentássemos todos os problemas possíveis – e mais uns imaginados – Bolsonaro parece se esforçar para piorar os reais e parir os imaginários. Por qual razão o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – CARACTERÍSTICAS GRAMATICAIS DOS SUBSTANTIVOS (parte 3)
Alexandre Gomes
Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO. Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é ...

Ver mais

Viva Narciso
Jota Fagner
Origens do Brasil
A nossa vaidade nos impede de construir um ambiente mais tolerável A palavra “insentão”, popularizada nos últimos anos, serve para classificar a pessoa que não se deixa iludir pelo canto da ...

Ver mais

O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento  “A leitura é a chave para se ter um universo de ideias e uma tempestade de palavras.” Eduarda Taynara Gonçalves Pereira  (ex-aluna da EEEP ...

Ver mais

Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Basta uma olhada nos jornais televisivos diários para ...

Ver mais

Cafezinho 210 – Gosto médio
Cafezinho 210 – Gosto médio
Vida em sociedade implica no exercício diário da ...

Ver mais

Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Quem mostra a você o ato, conclui a intenção e sonega a ...

Ver mais

Cafezinho 208 – O Mas
Cafezinho 208 – O Mas
Preste atenção em quem usa o “mas” como desculpa ou ...

Ver mais

Arte E Comércio

Arte E Comércio

Luciano Pires -

ARTE E COMÉRCIO

Luciano Pires

Li um texto delicioso de Oscar Wilde, em “A Alma do Homem Sob O Socialismo”, onde ele diz o seguinte:

“Um trabalho de arte é o resultado único de um temperamento único. Sua beleza vem do fato de o autor ser o que ele é. Nada tem a ver com o fato de outras pessoas quererem o que elas querem. No momento em que um artista percebe o que os outros querem, e tenta suprir a demanda, ele deixa de ser um artista e passa a ser um artesão, excelente ou medíocre. Deixa de ser um artista e passa a ser um homem de negócios, honesto ou desonesto”.

Escrito por Oscar Wilde em 1891…
É irresistível refletir sobre essa imagem do artista como um homem de negócios nos dias de hoje, quando os marqueteiros transformaram a produção cultural brasileira numa indústria baseada em pesquisas e focada em nivelar por baixo os produtos ditos “culturais” que cria e promove.
E dá-lhe as bandinhas de axé de acrílico, os pagodeiros derivados de petróleo, o funk de isopor, os livrinhos de auto-ajuda, os programinhas de tv focados na fofoca e nas celebridades e outras barbaridades… São produtos criados em laboratório por comerciantes, não por artistas, e trabalhados para suprir uma demanda que eles próprios criam.
Uma música na novela da Globo, repetida no Domingão do Faustão como sendo a “nova onda”, é capaz de lançar um modismo, de “suprir uma demanda” nacional e projetar um desconhecido, vazio de conteúdo, ao estrelato. É o artesão de Oscar Wilde, alguém que deixou de ser um artista para ser um comerciante.
Mas o problema não é assim tão simples. A engrenagem é complexa… E seus componentes estão no jogo sem compreender seus papéis. Os grandes formadores de opinião, confusos diante de uma postura “politicamente correta”, em que “dão ao povo o que o povo quer”, desempenham uma função crítica no processo. Dão às manifestações comerciais uma dimensão maior do que a merecida. Ao colocar em horário nobre uma entrevista com a funkeira desbocada, com a ex-prostituta que escreveu suas memórias, com o transformista que traiu o namorado, com a bandinha vazia, legitimam um produto que, do contrário, permaneceria restrito a um gueto, apagado pelo tempo. É a legitimação da mídia – jogando o jogo dos comerciantes – e não os atributos artísticos ou culturais, que acaba por criar uma demanda falsa, um sucesso mentiroso. Uma celebridade efêmera. Que nos seis meses de duração venderá dois milhões de cds… Para os trouxas que caíram na conversa.
Você já parou para pensar sobre o seu papel nessa engrenagem? Você é o agente da demanda. Você é a presa dos comerciantes. Você é o manipulado. É o seu “gosto médio” que os comerciantes estão determinando.
E já escrevi uma vez que “gosto médio” não tem gosto. O gosto que tem gosto é o SEU gosto. Seu tesouro. Único. Pessoal. Intransferível.  
Portanto, respeite o artesão. Respeite o comerciante.
Mas valorize seu gosto.
Só o entregue ao artista.