Artigos Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Alforria

Alforria

Luciano Pires -




ALFORRIA
Este artigo faz parte do livro NÓIS…QUI INVERTEMO AS COISA (
http://www.lucianopires.com.br/livros/Nois/)



                                                                                                                   


Recebi um artigo do diretor teatral Gerald Thomas, detonando com o Ministro da Cultura Gilberto Gil. Deslumbrado pelo poder, Gil estaria acabando com o teatro, para decepção da classe artística que esperava que um músico colocasse o cenário cultural brasileiro nos eixos.




Na mesma semana, leio na revista Carta Capital um artigo de um professor da USP indignado com a forma como viu a reunião de pauta do Jornal Nacional, da Globo, ser conduzida por seu editor-chefe, Willian Bonner. Nas palavras do professor, Bonner teria dito que o telespectador padrão do Jornal Nacional é um Homer Simpson, personagem de desenho animado estadunidense que representa um pai de família medíocre. Encarando seus telespectadores como “homers”, Bonner descartava temas com conteúdos que interessariam à sociedade, em favor de outros mais sensacionalistas, que dariam maior audiência.




Esses dois fatos me levam a uma reflexão.




Gilberto Gil é burro? Quer o mal para sua classe? Willian Bonner é medíocre? Interessado na desagregação da sociedade? E o Fasto Silva? E o Jô Soares? O Pedro Bial? São medíocres?




Claro que não.




Essas pessoas estão entre as mais brilhantes personalidades da TV e do cenário cultural brasileiro. E quem os conhece pessoalmente afirma que são gente fina, esclarecida, muito boa para se conversar e bons amigos. São pessoas inteligentes produzindo resultados comercialmente interessantes, mas culturalmente discutíveis.




Pois é… O sistema é mais forte que os indivíduos. Cada um dos nomes que citei, foi engolido por ele. Precisando jogar pelas regras do sistema, Gilberto Gil decepciona sua classe. Fausto Silva joga no lixo horas valiosíssimas da televisão. Pedro Bial dá um nó em sua biografia ao virar apresentador de reality show. Jô se perde em entrevistas medíocres.




Impossível não recorrer ao exemplo do Dr. Adib Jatene, médico, cientista, pessoa íntegra, brilhante, que ao assumir o Ministério da Saúde deixa como legado… A CPMF.




Adib Jatene é ruim? Desonesto? Claro que não. Mas o sistema é burro. Transforma uma idéia honesta numa armadilha.




Pois proponho um movimento de libertação. Uma carta de alforria que liberte os Gils, Bonners, Bials, Jôs, Faustões e outros, das garras do sistema que os aprisiona. Livres, poderão se recuperar e usar seu talento, como um dia fizeram, a serviço da sociedade.




Quem sabe, mudando a história deste país.




Mas a alforria não vale pra todos. Os Gugus, João Klebers, Gilberto Barros e seus diretores, não têm jeito.




Se libertos, são capazes de piorar.