Artigos Café Brasil
Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

614 – Limão ou limonada
614 – Limão ou limonada
No começo dos anos 1970 apareceu um termo que anos mais ...

Ver mais

Café Brasil 613 – Biologia política
Café Brasil 613 – Biologia política
E aí? Você é de direita ou de esquerda? Se incomoda com ...

Ver mais

612 – O Efeito Genovese
612 – O Efeito Genovese
Em 1964, Kitty Genovese foi assassinada em Nova York. ...

Ver mais

611 – Momentos felizes
611 – Momentos felizes
Felicidade não existe. O que existe na vida são ...

Ver mais

LíderCast 110 – Rafael Baltresca
LíderCast 110 – Rafael Baltresca
LíderCast 110 - Hoje conversamos com Rafael Baltresca, ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Lídercast 108 – Leandro Nunes
Lídercast 108 – Leandro Nunes
LíderCast 108 - Hoje conversamos com Leandro Nunes, um ...

Ver mais

Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Hoje conversamos com Lucia Bellocchio, uma jovem ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Complexo e outros males
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Uma das expressões que a esquerda (radical ou não) adora usar é o tal “complexo de vira-latas”. Essa gente não tem a menor ideia do que seja isso, nem de quem cunhou a expressão, mas a macaqueia ...

Ver mais

Interpretações do Brasil X – As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Interpretações do Brasil X As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo “Bons jogos dependem mais de boas regras do que de bons jogadores.” James Buchanan  Considerações iniciais A ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era
Mauro Segura
Transformação
A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, ...

Ver mais

MInha culpa é sua, camarada!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A tragédia do edifício que pegou fogo e desabou no Largo do Paissandu, em São Paulo, desvendou mais um bem bolado golpe; e golpe, novamente, travestido de “movimento social”: A máfia das invasões ...

Ver mais

Cafezinho 74 – O valor subjetivo
Cafezinho 74 – O valor subjetivo
Os impostos estão lá sim, altíssimos, exorbitantes, mas ...

Ver mais

Cafezinho 73 – Estupidez Coletiva
Cafezinho 73 – Estupidez Coletiva
Não interessa determinar o que é verdade e o que é ...

Ver mais

Cafezinho 72 – Fake News 1
Cafezinho 72 – Fake News 1
Quem julga o juiz?

Ver mais

Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Reenquadre o otário e ele vira ouro. Reenquadre a ...

Ver mais

Alforria

Alforria

Luciano Pires -




ALFORRIA
Este artigo faz parte do livro NÓIS…QUI INVERTEMO AS COISA (
http://www.lucianopires.com.br/livros/Nois/)



                                                                                                                   


Recebi um artigo do diretor teatral Gerald Thomas, detonando com o Ministro da Cultura Gilberto Gil. Deslumbrado pelo poder, Gil estaria acabando com o teatro, para decepção da classe artística que esperava que um músico colocasse o cenário cultural brasileiro nos eixos.




Na mesma semana, leio na revista Carta Capital um artigo de um professor da USP indignado com a forma como viu a reunião de pauta do Jornal Nacional, da Globo, ser conduzida por seu editor-chefe, Willian Bonner. Nas palavras do professor, Bonner teria dito que o telespectador padrão do Jornal Nacional é um Homer Simpson, personagem de desenho animado estadunidense que representa um pai de família medíocre. Encarando seus telespectadores como “homers”, Bonner descartava temas com conteúdos que interessariam à sociedade, em favor de outros mais sensacionalistas, que dariam maior audiência.




Esses dois fatos me levam a uma reflexão.




Gilberto Gil é burro? Quer o mal para sua classe? Willian Bonner é medíocre? Interessado na desagregação da sociedade? E o Fasto Silva? E o Jô Soares? O Pedro Bial? São medíocres?




Claro que não.




Essas pessoas estão entre as mais brilhantes personalidades da TV e do cenário cultural brasileiro. E quem os conhece pessoalmente afirma que são gente fina, esclarecida, muito boa para se conversar e bons amigos. São pessoas inteligentes produzindo resultados comercialmente interessantes, mas culturalmente discutíveis.




Pois é… O sistema é mais forte que os indivíduos. Cada um dos nomes que citei, foi engolido por ele. Precisando jogar pelas regras do sistema, Gilberto Gil decepciona sua classe. Fausto Silva joga no lixo horas valiosíssimas da televisão. Pedro Bial dá um nó em sua biografia ao virar apresentador de reality show. Jô se perde em entrevistas medíocres.




Impossível não recorrer ao exemplo do Dr. Adib Jatene, médico, cientista, pessoa íntegra, brilhante, que ao assumir o Ministério da Saúde deixa como legado… A CPMF.




Adib Jatene é ruim? Desonesto? Claro que não. Mas o sistema é burro. Transforma uma idéia honesta numa armadilha.




Pois proponho um movimento de libertação. Uma carta de alforria que liberte os Gils, Bonners, Bials, Jôs, Faustões e outros, das garras do sistema que os aprisiona. Livres, poderão se recuperar e usar seu talento, como um dia fizeram, a serviço da sociedade.




Quem sabe, mudando a história deste país.




Mas a alforria não vale pra todos. Os Gugus, João Klebers, Gilberto Barros e seus diretores, não têm jeito.




Se libertos, são capazes de piorar.