Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

586 – LiderCast 7
586 – LiderCast 7
E o LíderCast vai para a sétima temporada! No programa ...

Ver mais

585 – Tolerância e relativismo
585 – Tolerância e relativismo
Quando aceitamos o relativismo, cada pessoa tem direito ...

Ver mais

Café Brasil 584 – O muitos e o um
Café Brasil 584 – O muitos e o um
Que loucura é essa na qual embarcamos? As pessoas estão ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

LíderCast 086 – Gustavo Succi
LíderCast 086 – Gustavo Succi
Gustavo Succi, é especialista em empreendedorismo na ...

Ver mais

LíderCast 085 William Polis
LíderCast 085 William Polis
William é um daqueles empreendedores que a gente gosta: ...

Ver mais

LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LiderCast 084 – Rodrigo Azevedo – Rodrigo Azevedo é ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

A história secreta da criatividade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A história secreta da criatividade  Leitura com elevada agregação de conhecimento “Montar uma organização criativa é difícil, mas mantê-la criativa é muito mais. Por quê? Porque todo paradigma ...

Ver mais

Sobre uma incrível oportunidade que perdi na vida
Mauro Segura
Transformação
Nem sempre é fácil avaliarmos as oportunidades que a vida coloca diante de nós, principalmente quando somos muito jovens. Essa é uma história que nunca contei para ninguém, diz respeito a uma ...

Ver mais

Aplicando 5S na vida pessoal
Tom Coelho
Sete Vidas
“Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo, e fazer bem-feito.” (Pitágoras)   Em Administração, utilizamos um expediente importado lá do Oriente, mais precisamente do Japão ...

Ver mais

Irmãos cara de pau
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Tudo bem, o Brasil todo tá cansado de saber que ministério é apenas moeda de troca política; bons tempos em que servia só para alavancar os assuntos, prioridades e planejamento de cada pasta. ...

Ver mais

Cafezinho 20 – A professora
Cafezinho 20 – A professora
imagine se milhares, milhões de brasileiros pensassem ...

Ver mais

Cafezinho 19 – Mia Couto
Cafezinho 19 – Mia Couto
Mia Couto fala de umas coisas que têm sido esquecidas: ...

Ver mais

Cafezinho 18 – Indicativa x Impositiva
Cafezinho 18 – Indicativa x Impositiva
Indicativa x impositiva. Uma palavrinha muda tudo...

Ver mais

Cafezinho 17 – Oportunismo disciplinado
Cafezinho 17 – Oportunismo disciplinado
Oportunismo disciplinado. Mais que os 60% de ...

Ver mais

A utopia

A utopia

Luciano Pires -

Um de meus leitores, o Sidclay Prazeres, escreve:
 
“Será utopia querer conhecer um plano de governo que nos convença de fato de que algo vai mudar? Um que demonstre claramente como será equacionada a questão da previdência social, que tenha coragem para extinguir os benefícios de ex-políticos, militares e “alguns servidores” com pensões vitalícias? Algum candidato honesto que nos diga quantos ministérios serão extintos em sua gestão, e o que obviamente o país ganhará com isso? Alguém que queira colocar ordem na Casa Civil, que custa ao Brasil mais que a manutenção da coroa britânica, com seus guardanapos de renda “não sei de onde”de R$ 1.000,00 cada, salmão e caviar importado? Um apenas, que nos ofereça soluções para as questões básicas de educação e saúde, que não ceda às pressões do funcionalismo público e seu “eterno” mimimi por melhores salários e condições de trabalho, ignorando completamente a realidade do mercado e dos demais brasileiros? Um partido capaz de apresentar uma proposta de reforma/desoneração tributária e suas reais implicações na economia? Onde estão as propostas, os planos de governo que irão nos tirar da tão comentada inércia? As propostas e o plano de ação para implementá-las, por favor. O eleitorado, por incrível que pareça, está mais consciente e maduro, será preciso muito mais que ataques para convencer o cidadão. #euqueropropostadegoverno e não me venha com chorumelas. Diga mestre Luciano Pires, será utopia?”

Bem, imagino que a dúvida do Sidclay seja a de milhões de brasileiros, não é? Não acho que seja utopia, Sidclay, mas isso tudo que você quer cabe numa “carta aos brasileiros”, que não passa de um protocolo de intenções. É isso que ouviremos nos próximos meses: promessas. E os planos de governo repletos de promessas serão publicados e quase ninguém os lerá.

Promessas são promessas. É a transformação delas em realidade a verdadeira utopia, posto que há que “politizar” para poder governar. E politizar significa negociar, conceder, engolir sapos até chegar naquilo que se transformou o conceito de governabilidade no Brasil: aparelhamento do estado, compadrio, nepotismo e tudo o que temos visto.

A questão então é: até onde o candidato pretende conceder? Até que ponto chegará para obter o que deseja? Que interesses colocará em primeiro lugar? A extensão desse compromisso nenhum candidato dirá claramente. De novo: na “carta aos brasileiros” cabe tudo. De boas intenções o inferno está cheio, como dizia meu avô em Bauru.

Mas não temos como saber se o “serviço” que compramos de um candidato é bom antes de elegê-lo, não é? Como a pintura da parede de sua casa, você só terá certeza de que ficou boa depois de pintada. É essa a verdadeira crise nacional: perdemos a credibilidade no “pintor”. Não acreditamos que um político, qualquer político, seja capaz de cumprir o que promete. E temos razão de pensar assim, além da experiência histórica, estamos muito bem treinados – especialmente pela imprensa – a desconfiar de tudo e de todos. A tirar números do contexto. Ao confronto. E como você diz, “será preciso muito mais que ataques para convencer o cidadão.”

E na tentativa de conhecer os “pintores”, primeiro limitado aos dois que disputam os primeiros lugares com Dilma Roussef, publiquei um post no Facebook pedindo opinião de gente que vive ou conhece Minas Gerais e Pernambuco sob os governos de Aécio Neves e Eduardo Campos. Tá no link: http://on.fb.me/1heUzcl ou logo abaixo no post incorporado:

 

A primeira leitura dos comentários mostra como os políticos vivem num mundo de percepções onde são santos e demônios ao mesmo tempo.

Essa é minha tentativa tímida, limitada e insegura, de conseguir referência sobre os pintores diretamente de quem utilizou seus serviços, e não apenas através de panfletos de propaganda. Com todas as limitações, as mídias sociais são as melhores ferramentas que uma pessoa, interessada e com mais de um neurônio funcionando, tem para saber quem é que cumpre o que promete.

Assim fica mais fácil ler as intenções por trás dos planos.
 
Luciano Pires