Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

601 – Alfabetização para a Mídia II
601 – Alfabetização para a Mídia II
Publicamos um videocast sobre Alfabetização para a ...

Ver mais

600 – God Save The Queen
600 – God Save The Queen
Café Brasil 600... Chegou a hora de comemorar outra ...

Ver mais

599 – Gastando tempo
599 – Gastando tempo
Quem ouve o Café Brasil há algum tempo sabe da minha ...

Ver mais

598 – O bovárico
598 – O bovárico
Madame Bovary é um livro clássico que nos apresenta a ...

Ver mais

LíderCast 97 – Michael Oliveira
LíderCast 97 – Michael Oliveira
Michael Oliveira, que é criador e apresentador do ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Como não combater a inflação
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Como não combater a inflação  O livro que, infelizmente, poucos leram “Os controles são profunda e intrinsecamente imorais. Substituindo o governo da lei e da cooperação voluntária no mercado ...

Ver mais

Como vencer um debate tendo razão
Bruno Garschagen
Ciência Política
O estrondoso sucesso do psicólogo canadense Jordan Peterson tem mostrado coisas extremamente interessantes sobre como parte da sociedade reage diante de alguém que sabe defender corajosamente as ...

Ver mais

O oitavo círculo
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Faz uns bons anos, no departamento de trânsito de uma pequena e pacata cidade do interior paulista. Um cliente sofreu alguns danos em seu carro, devido aos quebra-molas exagerados, muito acima ...

Ver mais

Como avaliar uma proposta de emprego em apenas 3 passos
Mauro Segura
Transformação
O cara me perguntou: "Você é capaz de me responder em 1 minuto o que você considera mais importante para se avaliar numa oferta de emprego?". Eis a minha resposta.

Ver mais

Cafezinho 47 – Os poblema
Cafezinho 47 – Os poblema
Como as mídias sociais revelaram o tamanho do desastre ...

Ver mais

Cafezinho 46 – Experimente
Cafezinho 46 – Experimente
Experimente abrir uma empresa. Seja o dono.

Ver mais

Cafezinho 45 – O louco
Cafezinho 45 – O louco
Na semana passada, quase sete anos após a apresentação ...

Ver mais

Cafezinho 44 – A Escala de Allport
Cafezinho 44 – A Escala de Allport
A Escala de Allport tem cinco níveis, que vão se ...

Ver mais

A universidade do milho

A universidade do milho

Luciano Pires -

Acabo de retornar de uma daquelas viagens que renovam minha esperança no Brasil. Estive em Patos de Minas, palestrando no II Seminário Agroceres de Economia e Negócios. O evento fez parte da programação da Fenamilho 2013, organizada pelo Sindicato dos Produtores Rurais e que acontece naquela cidade desde 1959. Hoje é considerada a maior festa de Minas Gerais. São 10 dias de atrações em 130 mil metros quadrados, numa cidade que tem pouco mais de 130 mil habitantes. É impressionante. A gente caminha pela área do evento, repleta de estandes de empresas do agronegócio e empreendedores regionais e vê claramente a riqueza da economia da região. De novo: impressionante!

O seminário discutiu o agronegócio, especialmente a cultura do milho. E o que vi ali foi a repetição do que eu havia visto uma semana antes em Caxias do Sul, no Seminário Transpodata. Dados fantásticos sobre o aumento da produtividade e, especialmente, o potencial de crescimento dos negócios. E no final a mesma conclusão: apesar de todo o potencial, não se espera grandes saltos de crescimento, pois não existe nem capacidade de armazenamento nem de transporte para escoar a safra. O agronegócio brasileiro é imbatível até a porteira. Dali para fora é um desastre logístico que derruba nossa competitividade e limita o crescimento. Um desastre de planejamento e execução, de falta de estradas, ferrovias, hidrovias, portos e tudo aquilo que há 40 anos reclamamos. As prioridades dos governantes são outras.

Após minha palestra participei de uma rodada de debates e uma das perguntas lançadas para a mesa foi sobre a falta de mão de obra qualificada em várias frentes. Como suprir essa deficiência? Na minha resposta, eu disse mais ou menos o seguinte:

“Se vocês forem esperar pelo governo, jamais resolverão o problema da formação da mão-de-obra. Lamento, mas a solução vai implicar em mais custo para vocês, que julgo impossíveis de serem evitados. Vocês tem que pensar na Universidade do Milho, juntando forças, reunindo produtores, associações, entidades de classe, cooperativas e fornecedores para criar o seu próprio sistema de educação, focado nas habilidades e atributos que a indústria de vocês precisa. Vocês tem que construir seu próprio complexo educacional, investindo por conta própria, sem depender do governo.”

E dei alguns exemplos, como a criação pela Ford de uma escola de mecatrônica em Camaçari para suprir mão de obra para sua fábrica então recém inaugurada.

Sim, parece um absurdo. É mais custo, é pagar de novo por um serviço que é obrigação do governo… Mas é infinitamente mais barato que o custo da inoperância e da ignorância.
Universidade do Milho. Universidade da Soja. Universidade do Boi. Universidade do Vidro. Universidade do Aço. Universidade do Pão. Universidade da Energia… Iniciativas privadas de quem quer resolver os problemas. Tenho certeza que a ideia é óbvia ululante, e que talvez você conheça exemplos de setores da economia que já estão fazendo isso. Se conhece, por favor, conte para todo mundo, acessando a área de comentários deste artigo em www.portalcafebrasil.com.br.

Acho que mais gente vai se beneficiar dos exemplos.

Luciano Pires