Artigos Café Brasil
Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

579 – A arte de falar merda
579 – A arte de falar merda
Tenha um filtro, meu caro, minha cara. Para o bem do ...

Ver mais

578 – O Círculo de ouro
578 – O Círculo de ouro
Você já parou para pensar que talvez ninguém faça ...

Ver mais

577 – Dois pra lá, dois pra cá
577 – Dois pra lá, dois pra cá
Existe uma divisão política, social e cultural no ...

Ver mais

576 – Gratitude
576 – Gratitude
Gratitude vem do inglês e francês e significa que ...

Ver mais

LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 – Lúcia Helena Galvão Maya é diretora da ...

Ver mais

LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 – Tito Gusmão – Tito Gusmão é um jovem ...

Ver mais

LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 –Marcio Appel executivo à frente da ...

Ver mais

LíderCast 078 Leo Lopes
LíderCast 078 Leo Lopes
LíderCast 078 – Leo Lopes – Leo Lopes é uma referência ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Os jacobinos da “nova direita”
Bruno Garschagen
Ciência Política
Quando os antissocialistas mimetizam a mentalidade e a ação política do inimigo, tornam-se o espelho da perfídia.

Ver mais

A hora e a vez da criatividade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A hora e a vez da criatividade  Por que não no Brasil? “Eu olho para as coisas como elas sempre foram e pergunto: Por quê? Eu olho para as coisas como elas poderão vir a ser e pergunto: Por que ...

Ver mais

Cala a boca, Magdo!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Quem não se lembra do “Cala a boca, Magda”, repetido por Caco Antibes no Sai de Baixo? Magda, sua esposa, era de uma estupidez oceânica, e o bordão era gritado a cada asneira dita pela bela ...

Ver mais

Síndrome de Deus
Tom Coelho
Sete Vidas
“Existe uma força vital curativa com a qual o médico tem de contar. Afinal, não é o médico quem cura doenças: ele deve ser o seu intérprete.” (Hipócrates)   Dediquei-me nas últimas semanas ...

Ver mais

Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
O nome disso é livre mercado, goste você de Pimenta ...

Ver mais

Cafezinho 4 – A intolerância
Cafezinho 4 – A intolerância
Uma organização conhecida por investir em cultura ...

Ver mais

Cafezinho 3 – A inércia
Cafezinho 3 – A inércia
Issac Newton escreveu que “um objeto que está em ...

Ver mais

Cafezinho 2 – O bobageiro
Cafezinho 2 – O bobageiro
Quando se trata de falar bobagem, pesquisas já ...

Ver mais

A Tribo

A Tribo

Luciano Pires -

O texto de hoje é um baita merchandising. Mas necessário…

Quando o homem pré-histórico desceu das árvores, reuniu-se em grupos, o que era mais seguro do que aventurar-se sozinho em meio às feras que naquela época comiam a gente. E os primeiros grupos logo evoluíram, transformando-se em tribos que freqüentamos até hoje.

Estar numa tribo dá a sensação de pertencimento, de proteção, de apoio. Dá o prazer de dividir com outras pessoas gostos e opiniões. Dá oportunidade para aprendizado. Por isso a maioria das pessoas precisa viver em tribos, conectadas. Com o surgimento da internet esse conceito de “conexão” assumiu proporções nunca antes imaginadas.

Mas uma tribo não é só a conexão entre seus membros. Para ser uma tribo esses membros devem estar conectados a um líder, que não é necessariamente um chefe dando ordens, mas alguém que influencia as escolhas. Por exemplo, se você é um fã incondicional do Gugu Liberato, todo domingo está firme assistindo o programa dele, telefonando para participar, sendo membro da comunidade do Gugu no Orkut e comprando os produtos que ele anuncia, você faz parte da tribo do Gugu. Está conectado aos outros membros da tribo e ao líder: Gugu. O Gugu nem sabe que você existe, mas exerce uma influência sobre você e o grupo. É ele quem apresenta o programa, escolhe as atrações e conduz o conteúdo dominical que você tanto aprecia. Ele influencia no mínimo a escolha que você faz sobre que destino dar a seu tempo livre: assistir o programão de domingo!

Então: tribos são grupos de pessoas conectadas entre si e conectadas a um líder. Mas tem mais: a tribo também deve estar conectada a uma idéia comum. Um propósito. A tribo da turma de corrida no parque, por exemplo, tem um propósito comum: qualidade de vida através do bem estar físico.

Então ficamos assim: tribos são grupos de indivíduos conectados entre si, conectados a um líder e compartilhando um propósito comum. O que determina o valor de uma tribo é a qualidade das conexões e dos relacionamentos entre seus membros. Quanto mais participativos, mais colaborativos, mais interessados em compartilhar conhecimentos são os membros, mais ricas serão as oportunidades de aprendizado e mais capacidade de fazer acontecer a tribo terá.

E o papel do líder é facilitar essas conexões, nutrir esses relacionamentos, facilitar a comunicação entre os membros da tribo. Se for bem sucedido, a tribo crescerá e conquistará o que todos buscam: progresso.

Bem, você que lê meus artigos semanais, mesmo sem perceber, faz parte de uma tribo com um propósito comum: combater o emburrecimento que toma conta do Brasil. Mas para ser efetiva, nossa tribo precisa ampliar suas conexões. Por isso faço um convite: visite o www.portalcafebrasil.com.br e cadastre-se em nossa comunidade. Vamos turbinar nossas conexões e relacionamentos. É assim que evoluímos.

Se você acha que o trabalho que estamos fazendo vale a pena, arregace as mangas. O esforço é mínimo e a recompensa é grande. Mais que isso: você terá a oportunidade de passar de leitor passivo a participante ativo. Não é isso que interessa?

Luciano Pires