Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

609 – As leis
609 – As leis
No Fórum da Liberdade que aconteceu em abril de 2018 em ...

Ver mais

608 – As 12 Regras
608 – As 12 Regras
Jordan Peterson é psicólogo clínico, crítico cultural e ...

Ver mais

607 – Uma Guerreira
607 – Uma Guerreira
Este programa reproduz na íntegra o LíderCast 100, pois ...

Ver mais

LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 - Hoje conversamos com Jeison Arenhardt, ...

Ver mais

LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 - Hoje conversamos com Odayr Baptista, ...

Ver mais

LíderCast 103 – Ivan Witt
LíderCast 103 – Ivan Witt
Hoje conversamos com Ivan Witt, um executivo brasileiro ...

Ver mais

LíderCast 102 – Paulo Cruz
LíderCast 102 – Paulo Cruz
Com Paulo Cruz, professor, pensador, voz dissonante da ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Sensações estranhas no trabalho
Mauro Segura
Transformação
Ironicamente, quanto mais experiência profissional eu acumulo, mais incertezas aparecem. Está difícil em lidar com algumas coisas na minha cabeça.

Ver mais

O Ibope e a caricatura do conservadorismo
Bruno Garschagen
Ciência Política
Essa pesquisa que mede o grau de conservadorismo da sociedade brasileira é das coisas mais estúpidas que o Ibope já fez.

Ver mais

A nova onda
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A vitrine acima é um quadro de uma animação de Mauricio Ricardo em https://www.youtube.com/watch?v=j7GJT3jALx4 A moda agora é “ter lado” sobre o vídeo de Gleisi Hoffman – que só é senadora ...

Ver mais

A Copa do Mundo Socioeconômica
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Copa do Mundo Socioeconômica[1] Considerações preliminares No próximo dia 14 de junho terá início a 21ª edição da Copa do Mundo da FIFA (Fedération Internationale de Football Association), um ...

Ver mais

Cafezinho 65 – A burrice
Cafezinho 65 – A burrice
Qualquer semelhança com gente que você conhece é pura ...

Ver mais

Cafezinho 64 – Outra piada
Cafezinho 64 – Outra piada
O caso do triplex no Guarujá começou em setembro de ...

Ver mais

Cafezinho 63 – Sai fora
Cafezinho 63 – Sai fora
As pessoas com as quais você anda, as fontes das quais ...

Ver mais

Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Aos domingos à tarde, a companhia da dona Terezinha de ...

Ver mais

A rã e o escorpião

A rã e o escorpião

Luciano Pires -

Vamos à velha fábula de Esopo, que provavelmente você já conhece: um escorpião precisava atravessar o lago, mas não sabia nadar. Pediu então ajuda a uma rã, que por ali estava. E a resposta foi imediata:

– Tá pensando que eu sou trouxa! Você vai me picar!

E o escorpião diz:

– Ora essa! Se eu te picar nós dois morremos! Fique tranquila.

A rã, convencida pelo argumento, concordou. O escorpião subiu em suas costas e lá foram os dois, deslizando suavemente pela superfície da água. Na metade do rio a rã sente a picada!

– Ai!

E enquanto começa a sucumbir envenenada, pergunta ao escorpião:

– Cara! Por que você me picou? Agora nós dois vamos morrer!

E o escorpião responde:

– Não pude fazer nada… essa é minha natureza.

Lembrei dessa estória ao refletir sobre os acontecimentos das últimas semanas. Mas antes que apareça um militonto com piadinhas, deixe-me trazer outra passagem.

Meu livro Brasileiros Pocotó, foi publicado em 2003, pouco depois do início do primeiro mandato de Lula. Eu jamais votei nele, mas diante da realidade não pude deixar de escrever num dos capítulos do livro:

“O Brasil precisa de líderes, de pulso firme, de coragem e de decisão. E a história colocou essa oportunidade em suas mãos. Agarre-a com todos os dedos.

‘Ah, mas falta um!’ — alguém há de dizer.

Não faz mal, presidente. O senhor tem no mínimo mais 540 milhões de dedos para ajudar…”

Era eu, como um escorpião nas costas da rã, controlando minha natureza e torcendo para que chegássemos ao outro lado do lago. Eu, anti petista desde que nasci, tinha todos os motivos do mundo para desconfiar que os governos deles dariam no que deram. Mas Lula era o presidente eleito. Meu mimimi não adiantaria nada. Então o que eu precisava fazer era não atrapalhar. Na verdade, ajudar. Ou no mínimo torcer para dar certo. E foi o que fiz, durante dois ou três anos, até perceber que a rã nadava na direção de uma cachoeira…

E o que tenho visto nestes dias?

Trump venceu nos EUA. Doria venceu em São Paulo. Temer é quem a lei indica para levar o país até 2018. São as rãs, em quem temos de confiar para chegar ao outro do lado do rio. Não existem outras opções. Mas a cada coisa que dizem, cada decisão que tomam, cada ato que anunciam, recebem ferroadas de todos os lados. Trump nem tomou posse e já é o “presidente menos popular da história”. Doria está tendo as promessas de campanha cobradas com 17 dias de governo. E Temer, bem, até da mulher dele que é bela, recatada e do lar, tiram sarro. É uma campanha diária, sem tréguas, apostando no “não vai dar certo”.

E a gente chegando no meio do lago.

É como se não estivéssemos todos no mesmo barco. Como se o melhor para São Paulo, para o Brasil e para o mundo não fosse que Doria, Temer e Trump fizessem governos muito bem sucedidos.

Cara, como fiz com o Lula lá em 2003, eu quero que eles deem certo. Eu preciso que deem certo. Todo mundo ganha se derem certo.

Controle sua natureza, meu caro, use o cérebro, torça para que esses caras deem certo, que cheguem à outra margem. Se não quer ajudar, pare de atrapalhar.

Dá um tempo.

Ou ajude que afundem no meio do lago. Com você nas costas.

Seu trouxa.

 

 

ilustração de Brady Stoehr