Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

675 – Homem na lua
675 – Homem na lua
Em 20 de Julho de 1969 uma nave feita pelo homem pousou ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

LíderCast 162 – Aldo Pini
LíderCast 162 – Aldo Pini
Ex-diretor de planejamento da agência África, que ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2019
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2019 Memoráveis citações “O Brasil é um país onde você passa quinze dias fora e muda tudo, mas passa quinze anos fora e não muda nada.” Cássio Casseb  “Quando alguém tem ...

Ver mais

O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina?
Carlos Nepomuceno
O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina? Live completa.

Ver mais

Ni nóis não
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A história todo mundo conhece, pelo menos no enredo do samba: Criminosos de extenso currículo (estelionatários, ladrões, traficantes) foram contratados para espionar telefones privados de ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

A Moerda

A Moerda

Luciano Pires -

-”Reforma? Prefiro vender a casa”. É minha resposta cada vez que ouço alguém falar sobre realizar obras em casa. Fui treinado nesse calvário. Pelos melhores. Pedreiros, encanadores, eletricistas, telhadistas, pintores, gesseiros, jardineiros… Capitaneados por um empreiteiro. Todos inteligentes enganadores, que prometiam e jamais cumpriam. Mas cobravam direitinho. Tem uma frase que, quando ouço, me arrepia:

– Quando secar vai ficar igual, Doutor.

Tratei desse tema recentemente num outro artigo, o “Foi Mal”, quando publiquei um e-mail de um leitor, o Caio, que repito aqui:

“Outro dia, o dono da empresa que trocou o telhado de minha casa tascou: ‘Então, Seu Caio, desculpe alguma coisa, tá?’ Na hora, eu ía responder: ‘Ué, mas se você fez algo para se desculpar, vai lá e arruma, ainda dá tempo!’ E ele, em vez de me pegar pelo braço e ir mostrar orgulhosamente sua obra, as qualidades, modo de usar, tecer comparações entre o prometido e o realizado etc. perpetrou o indefectível ‘Tchau!’, entrou no carro e se mandou. Aí fiquei pensando: já ouvi essa frase algumas vezes nos últimos tempos. Parece que ela está ficando comum, no Brasil, em vez de fazer o serviço direito, fazer de qualquer jeito e então pedir ‘desculpas por alguma coisa’. O profissionalismo terá mesmo ido pelo ralo? O ‘desculpe’ é apropriado para o feito ‘nas coxas’. Pois proponho ao Banco Central criar uma moeda flexível: um Real que valesse mais ou menos conforme a qualidade do serviço a ser pago. Essa moeda de escala flexível funcionaria assim: um serviço impecável você pagaria com um Real ‘A’ bom, firme. Um serviço mais ou menos você paga com o Real ‘B’ que só dá para comprar 1/3 ou metade das coisas com ele. Seria legal, não? A moeda corresponde à qualidade do serviço a pagar. Talvez assim conseguíssemos realizar algo muito simples: cumprir e pagar conforme o contrato firmado.”

Naquele artigo, o “Foi Mal”, achei a idéia do Caio interessante! O Real de merda para pagar serviços de merda…
Pois fui adiante, evoluindo a idéia do Real flutuante. Vou mandar uma proposta para uns políticos, com uma sugestão de mudança na moeda.
Teremos uma moeda e uma “moerda”.
A  moeda é o Real, que continua como está. E a moerda é o tal “real flutuante”, que vale uma fração do Real normal.  Mas que não pode chamar-se “real flutuante”. Não orna. Fui então pesquisar um nome para a moerda: algo que promete uma coisa, entrega outra fora das características, inventa uma desculpa e se manda. E depois aparece de novo, com a cara lavada, pra prometer outra vez e entregar tudo torto. E sempre se dá bem.
Pesquisei, perguntei, comparei e achei! O nome da nova moerda será: Inácio.

“Inácio” vem do latim “ardente, fogoso” e indica uma pessoa vivaz e inteligente, que em geral amadurece com as dificuldades. Supera com bom humor e perseverança os obstáculos e acaba obtendo grandes êxitos.
Perfeito. Descreve direitinho aquele empreiteiro de moral torta que me enganou na reforma da casa.

O nome da moerda será Inácio. Você combina o valor do serviço. Se tudo estiver conforme o acordado, paga em Reais. Mas se o sujeito entregar diferente do que prometeu , paga em Inácios. Os Inácios sempre valerão uma fração do Real, variando de tempos em tempos conforme o índice FHC, Fator de Honra e Credibilidade, definido pelo partido que estiver na oposição.
A moerda será identificada como RI$.

Aqueles deputados e senadores que vendem seus votos passarão a receber os salários em Inácios. O apresentador de televisão que promete cultura e entrega lixo, receberá em Inácios. Os jogadores do Corinthians receberão em Inácios. Os shows daqueles pagodeiros de plástico serão pagos em Inácios. Passagens aéreas? Inácios. Telefonia celular? Inácios. Aquele depósito “em nome do Senhor”? Inácios.
Sabe qual é o perigo? É que o Inácio, nascido para ser a exceção, em pouco tempo transforme-se em regra. E todo mundo vai se acostumar. E o padrão baixa de vez para Inácios.
Em vez de ser do Real, o Brasil será o país do Inácio.

Pô… Pensei que eu estava criando uma novidade…