Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

601 – Alfabetização para a Mídia II
601 – Alfabetização para a Mídia II
Publicamos um videocast sobre Alfabetização para a ...

Ver mais

600 – God Save The Queen
600 – God Save The Queen
Café Brasil 600... Chegou a hora de comemorar outra ...

Ver mais

599 – Gastando tempo
599 – Gastando tempo
Quem ouve o Café Brasil há algum tempo sabe da minha ...

Ver mais

598 – O bovárico
598 – O bovárico
Madame Bovary é um livro clássico que nos apresenta a ...

Ver mais

LíderCast 97 – Michael Oliveira
LíderCast 97 – Michael Oliveira
Michael Oliveira, que é criador e apresentador do ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Mostrem essa coragem toda!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não há mais o que falar, esmiuçar ou palpitar sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro. Entre especialistas da área, especialistas do nada, gente se fingindo de especialista e ...

Ver mais

Como não combater a inflação
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Como não combater a inflação  O livro que, infelizmente, poucos leram “Os controles são profunda e intrinsecamente imorais. Substituindo o governo da lei e da cooperação voluntária no mercado ...

Ver mais

Como vencer um debate tendo razão
Bruno Garschagen
Ciência Política
O estrondoso sucesso do psicólogo canadense Jordan Peterson tem mostrado coisas extremamente interessantes sobre como parte da sociedade reage diante de alguém que sabe defender corajosamente as ...

Ver mais

O oitavo círculo
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Faz uns bons anos, no departamento de trânsito de uma pequena e pacata cidade do interior paulista. Um cliente sofreu alguns danos em seu carro, devido aos quebra-molas exagerados, muito acima ...

Ver mais

Cafezinho 48 – As reformas
Cafezinho 48 – As reformas
Reformas estruturais implicam em mudanças na forma como ...

Ver mais

Cafezinho 47 – Os poblema
Cafezinho 47 – Os poblema
Como as mídias sociais revelaram o tamanho do desastre ...

Ver mais

Cafezinho 46 – Experimente
Cafezinho 46 – Experimente
Experimente abrir uma empresa. Seja o dono.

Ver mais

Cafezinho 45 – O louco
Cafezinho 45 – O louco
Na semana passada, quase sete anos após a apresentação ...

Ver mais

A Intimação

A Intimação

Luciano Pires -

Fui intimado. Tenho que ir à delegacia prestar contas num processo no qual fui envolvido pelo jogador Zé Roberto, ex-Santos e ex-Seleção Brasileira de Futebol. O Zé Roberto sentiu-se ofendido pela divulgação de uma carta bem pouco elogiosa ao Brasil, que ele teria escrito quando voltou para a Europa. Zé Roberto nunca escreveu a tal carta, que circulou pela internet em 2007 e foi polêmica. Muita gente – acreditando na autoria do jogador – deu-lhe razão enquanto outros o criticaram fortemente. Tão fortemente que o jogador decidiu processar quem divulgou a carta falsa. Recolheram o que foi publicado na internet e eu entrei no rolo, pois assino tudo que escrevo. Em meu artigo “Absurdos Possíveis” reproduzi parte da tal carta:

“(…) Por muitos anos vivi com minha família na Alemanha e me identifiquei completamente com o país.(…). Minhas filhas mal falam português e são totalmente fluentes em alemão. (…) Todo o tempo que estivemos no Brasil, ainda que livres fisicamente, éramos reféns psicológicos. (…)Assistir o noticiário televisivo alimentava ainda mais nossos medos. Por sorte, minhas filhas não entendem muito bem português. Se entendessem, descobririam um país em que o crime está por todos os lados: está nas escolas, está nas faculdades, está no Judiciário, está no Congresso e está até mesmo na família do presidente. (…) Me ponho no lugar delas e penso como deve ter sido desagradável esta estadia no Brasil.(…) Hoje, a felicidade de minha família tem como pré-requisito afastá-la do Brasil. Por isto que, ainda que com tristeza, faço o melhor para elas. Aos meus fãs, muito obrigado. Ao Brasil, boa sorte.”

E após reproduzir o texto da tal carta, eu escrevi:

“Forte, né? Zé Roberto descreve o lado negro do Brasil. (…)Mas tem um detalhe. Essa carta é falsa. Zé Roberto desmentiu oficialmente. Alguém escreveu, colocou seu nome e lançou na internet, como vem acontecendo com centenas de outros textos.”

Escrevi no artigo, com todas as letras, que a carta era falsa. Portanto trabalhei a favor do Zé Roberto. Mas os advogados não leram meu artigo. Ou, se leram, não entenderam. Que absurdo…

Perderei horas preciosas visitando uma delegacia para explicar o que já está explicado, além de ter que pagar o advogado, é claro. Esse é apenas mais um prejuízo provocado pela burrice que assola o Brasil.

Mas ao rever essa história uma coisa me chamou a atenção. Naquele artigo – citando fatos absurdos que ganhariam credibilidade instantânea – eu afirmava:

“… no Circo Brasil do novo milênio nenhum absurdo é tão absurdo que não possa ser possível. A situação está tão confusa que já não sabemos mais o que é verdade e o que é mentira. E assim, atitudes absurdas que algum tempo atrás eram absolutamente impossíveis, por imorais, não éticas, desumanas, burras ou preconceituosas, passam a ser – ao menos no imaginário das pessoas – possíveis.”

Pois depois daquele artigo tivemos os mensaleiros no STF; o Renan sendo salvo pelo Congresso; aquele horror da morte da Isabela Nardoni; o Ronaldo e os travecos; o escândalo do Paulinho da Força; Dantas preso, Dantas solto; o pai e a madrasta esquartejando as crianças; Exército a serviço de políticos no Rio; Lula III; os índios atacando com facões; o padre voador; a demarcação das terras na Raposa Serra do Sol; a seleção do Dunga; Corinthians na série B; os arapongas no Planalto…

No Circo Brasil do novo milênio nenhum absurdo é tão absurdo a ponto de não ser possível.