Artigos Café Brasil
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

643 – Dominando a Civilidade
643 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

642 – A caverna de todos nós
642 – A caverna de todos nós
Olhe em volta, quanta gente precisando de ajuda, quanta ...

Ver mais

641 – O delito de ser livre
641 – O delito de ser livre
Na ofensiva contra a liberdade, fica cada vez mais ...

Ver mais

640 – O monumento à incompetência
640 – O monumento à incompetência
É muito fácil e confortável examinar o passado com os ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

LíderCast 135 – Thalis Antunes
LíderCast 135 – Thalis Antunes
Gestor de Conteúdo da Campus Party, que tinha tudo para ...

Ver mais

LíderCast 134 – Diego Porto Perez
LíderCast 134 – Diego Porto Perez
O elétrico Secretário de Esportes do Governo de ...

Ver mais

LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
Empreendedores que criam no grande ABC uma agência de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Como ser um Diabo da Tasmânia
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
​​​Como disse certa vez o ex-ministro Pedro Malan, no Brasil até o passado é incerto. Mas o futuro não – ao menos em um caso: Há plena certeza que o tecido social esgarçou e vai rasgar. ...

Ver mais

O mundo platônico e suas consequências
Carlos Nepomuceno
Live de terça O mundo platônico e suas consequências Live de terçaO mundo platônico e suas consequênciasTENHA VISÃO MAIS SOFISTICADA SOBRE O NOVO SÉCULO!TURMA PERMANENTE, COMECE HOJE!"O ...

Ver mais

O Trivium – uma introdução
Alexandre Gomes
As Sete Artes Liberais era a forma que os jovens eram preparados desde a Antiguidade até a alta Idade Média para educação superior. E a introdução nas Sete Artes era pelo Trivium, um método que ...

Ver mais

Live de terça – a liderança liberal
Carlos Nepomuceno
Live de terçaA liderança liberalTENHA VISÃO MAIS SOFISTICADA SOBRE O NOVO SÉCULO!TURMA PERMANENTE, COMECE HOJE!"O curso me ajudou a pensar o digital como meio e não fim". – JEAN ...

Ver mais

Cafezinho 134 – A Síndrome de Chico Buarque
Cafezinho 134 – A Síndrome de Chico Buarque
- Como é que um cara tão legal, tão sensível, tão ...

Ver mais

Cafezinho 133 – Rifa de CDs
Cafezinho 133 – Rifa de CDs
Uma forma de fazer uma corrente do bem, capaz de ...

Ver mais

Cafezinho 132 – Os cagonautas
Cafezinho 132 – Os cagonautas
Seu chefe é um cagonauta? Hummmm...tome cuidado, viu?

Ver mais

Cafezinho 131 – Compartilhe!
Cafezinho 131 – Compartilhe!
Seja a mídia que você quer ver no mundo

Ver mais

A faxineira

A faxineira

Luciano Pires -

Luis Inácio da Silva é um brasileiro que, como outros milhões, tem uma história de vida que começa na miséria de algum rincão do país, de onde sai com a família ainda criança para tentar a sorte em alguma cidade grande. Quanta gente assim você conhece?

Em São Paulo, uma conjugação de fatores começa a transformar Luis Inácio em Lula, um personagem criado por intelectuais e pela imprensa para preencher o imaginário popular em um momento singular da história nacional: o final de um período de governo militar, quando o povo mostrava-se sedento por líderes que estimulassem a esperança por liberdade, por igualdade, por condições para uma vida melhor. O personagem Lula encarnou com perfeição o papel, expondo sua origem humilde, seu jeito errado de falar (que nem era tão errado assim no início, ficou errado depois…), o apelo de “gente do povo”. Sua energia para falar às multidões era imbatível, e a capacidade de jamais entrar em bolas divididas e de adaptar o discurso à qualquer plateia, mais um trabalho incansável da imprensa em apresenta-lo como o herói popular, fez com que Lula se tornasse um dos mais importantes líderes populares da história do Brasil. E por quarenta anos uma legião de seguidores – especialmente na imprensa – bradou a história do “pobre migrante nordestino”que venceu a “preconceituosa elite branca de olhos azuis”.

Mesmo que Lula ao longo do tempo se tornasse um dos mais vistosos exemplos da elite dos que só andam de avião, se hospedam em hotéis de primeira linha e tomam os melhores vinhos, nenhuma acusação ou testemunho que viesse de alguém em nível social mais elevado que o “pobre retirante nordestino” colou nele. Políticos, advogados, jornalistas, juízes, empresários, qualquer um que se atrevesse a criticar o personagem recebia imediatamente o rótulo de “elite ameaçada que não suportava ver pobres andando de avião”.

Lula tornou-se o ícone dos justiceiros sociais.

Nesse contexto, em nome do pobrismo, qualquer fala absurda ou atitude questionável de Lula era relevada. Como uma espécie de “compensação” por sua origem pobre, Lula podia tudo. E assim, presidentes, reis, papas, rainhas, bilionários, acadêmicos e toda uma plêiade de figuras proeminentes viu-se fascinada diante daquela figura icônica, o exemplo acabado de que é possível vencer a partir do nada. Lula se transformou num ícone brasileiro.

Nesse sentido, ele e o Cacique Raoni cumpriram o mesmo papel.

Muito bem. Sempre acompanhei com certa reserva as iniciativas dos que tentaram de alguma forma atingir Lula de forma direta ou indireta. Alguém lembra do “Cansei”, movimento que nasceu entre empresários de São Paulo lá por 2006 como reação aos indícios de corrupção que começavam a pipocar? Foi ridicularizado, pois capitaneado por um bando de coxinhas. O recente pedido de impeachment de Dilma Rousseff assinado por Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr e acolhido pelo Presidente da Câmara Eduardo Cunha também recebeu o rótulo de golpe, revanchismo, vingança pessoal de poderosos. Para mim sempre ficou claro: nada que viesse “de cima” ou até mesmo “de lado” atingiria Lula.

Era preciso vir de baixo.

Ontem o Jornal Nacional transmitiu uma reportagem que talvez seja a mais importante peça para chegar de vez ao coração desse movimento que tomou de assalto o estado brasileiro e que tem em Lula um de seus principais personagens. Pela primeira vez o Brasil viu não um vizinho, mas uma humilde faxineira, um humilde zelador, dizendo que o triplex pertence a Lula. É claro que ambos serão atacados, acusados de terem sido comprados, etc e tal, mas não tem jeito. A casa caiu.

Desta vez quem acusa tem a mesma proteção de Lula, é um humilde brasileiro, representante da única parcela da população da qual “eles” têm medo: o povo.

Quero ver sair dessa.

Se você não assistiu a reportagem, aqui está:

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/01/nova-fase-da-lava-jato-tem-como-alvo-condominio-no-guaruja-sp.html