Artigos Café Brasil
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

A Compra

A Compra

Luciano Pires -

O assunto é sério. Juro que tentei. Mas não agüentei… Reunião de emergência no Departamento de Compras do Ministério. Sobre a mesa dezenas de pênis de borracha. Pequenos, médios e grandes. Rosas, brancos, negros, vermelhos e lilás. Com pilha e sem pilha. Com pelo e sem pelo. Começa a reunião.

– Muito bem, precisamos escolher o modelo de pênis de borracha para os kits de educação escolar. Como é só para colocar o preservativo, não precisa de frescura. Portanto esses que vibram podem ser descartados.


– Ah, chefe e esse com pêlos podemos descartar. É muito feio.

– Que tal este branco?



– Hummmm…. Branco, não sei. Vão dizer que é racismo.



– Bem, então que tal aquele pretão ali?



– Não. É assustador!



– Aquele mulatinho?



– Não. Não pode ter nenhuma cor que se identifique com questões raciais.



– Vamos com o vermelho?



– É de índio.



– O amarelo?



– Japonês!



– O azul.



– Azul? Pênis azul? Onde já se viu? Vai parecer que tá doente, pô!



– Bom só se for incolor. Transparente.



– Tem?



– Tem. Tá aqui ó.



E o vendedor tira da mala um pênis de trinta e cinco centímetros. Todo mundo arregala os olhos. Dona Rosa grita:



– Quiquié isso!



– Olha, todos os outros nós temos em tamanho pequeno, médio e grande. Mas o transparente só tem neste tamanho aqui, que a gente chama de “êxtase”.



– É…tá me parecendo meio…excessivo…



– Eu gostei!



– Dona Rosa, o que é isso? A senhora é casada há trinta anos!



– Por isso mesmo. Eu gostei!



– Bem, não podemos escolher por gosto pessoal. A questão aqui é técnica. Alguém tem alguma sugestão?



– Chama o Ministro!



– Bom, o tamanho tem que ser 16 centímetros.



– Quem disse?



– Chefe, isso é estatístico! É a média do brasileiro.



– Ah! (E todos reparam na expressão de tristeza do chefe…)



– E a cor tem que ser cor-de-rosa. 



– Cor-de-rosa? Mas logo rosa? Não é meio fresco?



– É que o rosinha é meio infantil, sabe? As crianças não vão estranhar.



– Como assim? Um bitelo desses pode ter qualquer cor que as crianças vão estranhar!



– É. Mas o cor-de-rosa vão estranhar menos.



– Eu gostei!



– Dona Rosa!



– Tá bom. Vamos lá. Precisamos de cinco mil pênis cor-de-rosa, com dezesseis centímetros de comprimento.



– E o diâmetro?



– Como assim? Que é que tem?



– Tem fino, médio e grosso!



– Você tá me tirando…



– É verdade!



– Ah, sei lá. Vai o médio mesmo.



– Tá bom. Cinco centímetros.



– Ah. (Nova expressão de tristeza…)



– Quanto vai custar isso?



– Olha, nessa quantidade tem desconto. Vejamos… Cinqüenta mil reais pelo lote.



– Tá saindo a dez reais cada um.



– É. Não está bom?



– To achando muito barato. São de borracha?



– Silicone! Olha só a consistência. Parece de verdade!



– E de onde vêm?



– Ué, da China!



– China? Pênis chinês?



– Que é que tem?



– Quando a imprensa descobrir vai cair matando! Tem que ser meidinbrazil!



– Ah, mas aí só de borracha. E piquinininho.
 



E naquela tarde chega ao Pronto Socorro um vendedor… digamos… “engasgado” com um objeto não identificado. De borracha.



– Ô loco, meu!



– É doutor… Ainda bem que é meidinbrazil…