Artigos Café Brasil
Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

571 – Fala sério
571 – Fala sério
Podcast Café brasil 571 - Fala Sério - Todo povo tem o ...

Ver mais

Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Que triste sina. Em vez de aprender com o passado, ...

Ver mais

Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Os vivos serão sempre, e cada vez mais, governados ...

Ver mais

570 – LíderCast 6
570 – LíderCast 6
Hoje apresentamos nosso elenco de convidados da ...

Ver mais

LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes está à frente da implantação ...

Ver mais

LíderCast 072 Oscar Maroni
LíderCast 072 Oscar Maroni
Oscar Maroni se identifica como “dono de uma empresa ...

Ver mais

LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa é um dos mais ferrenhos ...

Ver mais

LíderCast 070 – Alexandre Barroso
LíderCast 070 – Alexandre Barroso
Hoje conversamos com Alexandre Barroso, num programa ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

A Era da Integração
Tom Coelho
Sete Vidas
“Eu sou eu mais as minhas circunstâncias.” (José Ortega y Gasset)   Um dia você apanha um velho álbum de fotografias e começa a revisitar seu passado. Entre as imagens registradas nas fotos ...

Ver mais

Nas redes sociais, você é o que publica
Mauro Segura
Transformação
A facilidade e a displicência com que publicamos algo numa rede social são incríveis. As vezes publicamos coisas que não entendemos bem e nem temos consciência do impacto que causamos.

Ver mais

Abaixo a polícia, viva o bandido!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, pára. Tudo bem que nós, viventes dessa nau dos insensatos chamada Brasil, estamos com o couro grosso de tanta asneira, e achávamos que discursos de Dilma seriam o ápice da fronteira entre a ...

Ver mais

O Festival de Besteira que Assola a Esquerda Brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Diante da condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, intelectuais, professores, artistas, estudantes e os demais suspeitos de sempre negam que Lula tenha cometido os crimes pelos ...

Ver mais

Pelo exemplo

Pelo exemplo

Luciano Pires -

As mídias sociais entram em polvorosa com o vídeo do morador de rua apanhando do guarda municipal em São Paulo. É realmente uma das imagens mais angustiantes que vi nos últimos tempos: a desesperança de quem nada tem vendo suas “traia” sendo levadas, enquanto é agredido por uma força, sem ajuda, sem dó. Cara, que porrada…

E as mídias sociais pegam fogo com as acusações à guarda, à polícia e ao Doria.

E o que é que o Doria faz? Publica um vídeo no mesmo dia manifestando sua indignação, dizendo que pediu para o guarda agressor ser afastado, que mandou investigar.

No vídeo, Doria diz o nome do morador de rua, informa que ele está recebendo cuidados e que isso não vai se repetir.

Vai sim, prefeito. Mas esse não é ponto deste post.

Imediatamente após o vídeo do Doria, as mídias sociais fervem novamente: “populista”, “demagogo”, “marqueteiro”!

Doria volta à carga com novo vídeo no dia seguinte: arrumou emprego na prefeitura para o morador de rua e para sua esposa.

E as mídias sociais enlouquecem: “populista”, “demagogo”, “marqueteiro”!

O que chama atenção é a simples comparação entre as respostas de Doria e as que estamos acostumados a ouvir: a culpa é da sociedade; tem de acabar com a polícia; tem de aumentar os impostos; vamos criar um grupo de estudos; estamos mandando uma comissão para aprender na Finlândia; isso é o capitalismo etc e tal.

O Doria faz como um gestor no setor privado: reconhece a cagada, pune o culpado e tenta compensar a vítima. É assim que se faz “gestão”. Quem não está acostumado diz que ele é “populista”, “demagogo”, “marqueteiro”…

É assim que se faz “gestão”: reconheça o erro + puna o culpado + compense a vítima. Repita o procedimento e conte para todo mundo. Dê o exemplo.

Dá pra fazer o que o Dória fez, com os 35.865,36 casos que acontecem todo dia em São Paulo? Não. Mas dá para criar uma cultura pelo exemplo, dá para fazer com que seus subordinados façam o mesmo. Inclusive o chefe da Guarda Municipal.

Isso é um processo de educação contínua, de mudança cultural, lento, penoso, e que exige especialmente a coerência nas atitudes do líder.

Em vez de ficar vociferando nas mídias sociais, deveríamos estar é elogiando a atitude do Dória, quem sabe assim estimulamos mais gente a fazer o mesmo.

E quando ele fizer uma cagada, a gente critica.

Na verdade, você deve ficar é preocupado com o que acontecerá se o Dória sair. Em seu lugar entra Bruno Covas, um perfeito representante da velha, ultrapassada, enferrujada e odiosa política, que provavelmente pouco ou nada terá para deixar como exemplo.

Todo líder é um professor de ética. Para o bem e para o mal.

Escolha com qual você quer aprender.